Adjori/SC
Chimarrão emagrece
17/1/2013 13:30:32
$alttext

 A bebida típica do Sul do país, considerada um alimento quase completo pelos especialistas, faz bem para a pele, regula as funções do coração e a respiração, além de garantir a perda de até 2 quilos por semana.

   Quem diria, que o hábito gaúcho de tomar chimarrão diariamente, além de prazeroso, pode emagrecer. Pois a erva-mate se revelou muito eficaz na redução da gordura corporal. Estudos apontam que ela é rica em xantinas (cafeína, teofilina) e tem ação termogênica: aumenta o gasto energético e, simultaneamente, promove a lipólise, ou seja, a degradação das gorduras no nosso organismo. Por isso, é utilizada como um coadjuvante em programas de emagrecimento.
   Mas, para obter esse efeito, é preciso ingerir a quantidade adequada da bebida. A nutricionista e fitoterapeuta Vanderli Marchiori, de São Paulo, garante que os fitoquímicos presentes na erva-mate facilitam a queima de gorduras. "Se uma pessoa tomar 1,5 litro de chimarrão por dia e mantiver uma rotina saudável, pode perder até 2 quilos por semana. Prático de preparar e sem calorias, o chimarrão é ótimo também para a manutenção do peso", revela.

Erva do bem

O consumo da erva-mate está ligado ao poder que ela tem de estimular a atividade física e mental, atuando sobre os nervos e músculos, combatendo a fadiga, a sede e a fome, sem deixar efeitos colaterais, como insônia e irritabilidade. "Ela também tem fortes propriedades diuréticas e laxativas, por isso auxilia no emagrecimento", revela a professora de Nutrição Gilberti Hübscher, especialista em fisiologia cardiovascular, do Centro Universitário Feevale, de Novo Hamburgo (RS).

   A bebida contém alcalóides (cafeína, metilxantina, teofilina e teobromina), taninos (ácidos fólico e caféico), vitaminas (A, B1, B2, C e E), sais minerais (alumínio, cálcio, fósforo, ferro, magnésio, manganês e potássio), proteínas (aminoácidos essenciais), glicídios (frutose, glucose, rafinose e sacarose), lipídios (óleos essenciais e substâncias ceráceas), além de celulose, dextrina, sacarina e gomas. "Por isso a erva-mate é considerada um alimento quase completo, pois contém a maioria dos nutrientes necessários ao nosso organismo", afirma Vanderli.

   Um estudo realizado pela USP apontou a ação da erva-mate na prevenção e tratamento da aterosclerose, doença causada pelo acúmulo de gordura nas artérias.

    O Instituto Pasteur e a Sociedade Científica de Paris fizeram um estudo sobre essa erva e relataram descobertas inacreditáveis. Os pesquisadores concluíram que ela contém praticamente todas as vitaminas essenciais para a manutenção da vida. Exagero ou não, pesquisas comprovam que a erva atua ainda sobre a circulação, acelerando o ritmo cardíaco e harmonizando o funcionamento bulbo-medular.

   "Ela é considerada um ótimo remédio para a pele e reguladora das funções do coração e da respiração, além de exercer importante papel na regeneração celular", observa Gilberti Hübscher, especialista gaúcha, que há 15 anos estuda os benefícios da erva-mate e a indica aos seus pacientes. Segundo ela, a erva-mate contém altas concentrações de vitamina E, considerada eficaz na regulação das funções sexuais; além de possuir cálcio, magnésio, sódio, ferro e flúor, minerais indispensáveis à vida.

O Chimarrão estimula e tonifica 

Diurético, o chimarrão é um concorrente da cafeína. Não se toma chimarrão e café simultaneamente. Um ou outro, alto lá! Se houvesse, teria no mate, estaria escrito "atua como estimulante do coração e do sistema nervoso, elimina os estados depressivos e tonifica os músculos contra a fadiga e o cansaço".

    Não é apenas água e erva, tem complexo B, cálcio, magnésio, sódio, ferro e flúor. Alimenta mesmo, por mais verde que seja. Na sangrenta Guerra do Paraguai (1864 a 1870), por exemplo, o general Francisco da Rocha Callado conta que o Exército brasileiro alimentou-se exclusivamente de chimarrão durante 22 dias. "As pesquisas sobre o chimarrão estão iniciando seriamente agora. Revelam que a bebida tem antioxidantes, também presentes no badalado chá verde (chinês), e que produz um leve efeito contra a coagulação no sangue, como a aspirina", diz o cardiologista Fernando Lucchese.

    É compreendido ainda, como antídoto do excesso de carne. De acordo com o psicanalista Mário Corso, responde como meio mais eficaz para hidratar e equilibrar o gaúcho, flor de carnívoro, que costuma se atolar nos espetos corridos. Espécie de chá manso, como define o escritor Luís Augusto Fischer. Propício tanto à reflexão como à roda de amigos. Suas ferramentas são simples, constituídas de cuia (a cabeça do porongo decapitado) e bomba (de prata é a melhor; várias famílias gaúchas têm a peça com bocal de ouro, uma joia que fica curiosamente na gaveta dos talheres). Retirada da erveira, planta que atinge a altura de 6 a 8 metros e similar a uma laranjeira, a erva-mate cobre dois terços da cuia. Colocando menos, é mate comprido. Colocando mais, é mate curto.

   A água a ser posta deve estar quente, não fervida, pois pode queimar a erva e infundir gosto infeliz de pneu queimado. Lição que o francês viajante Saint Hilare, em sua passagem pelo Rio Grande do Sul, em 1820, absorveu: "A cuia tem capacidade de mais ou menos um copo, é cheia com erva até a metade, completando-se o resto com água quente. Quando o mate é de boa qualidade, pode-se escaldá-lo até dez ou 12 vezes sem renovar a erva".

Ver comentários
Escrever comentários
Você está com a carteira de vacinação em dia?
Sim
Não