Balneário Piçarras compra equipamento para limpar areia da praia

28 Agosto 2018 08:31:27

Saneadora, para peneiramento da areia da praia, foi adquirida ao valor de R$ 102 mil; processo afasta riscos de doenças e retira resíduos enterrados até 200mm

SANEADORA 3.jpg
Foto: Divulgação
A saneadora foi adquirida por R$ 102 mil

A Prefeitura de Balneário Piçarras anunciou a aquisição de um equipamento para manter a areia dos seus sete quilômetros de orla limpa. Utilizada pela primeira vez em janeiro, por meio de locação, a saneadora foi adquirida por R$ 102 mil - por meio de processo licitatório de menor preço global – e tem a capacidade de limpar a areia em uma profundidade de até vinte centímetros.

“Através de peneiramento da areia o equipamento remove resíduos enterrados e expõe bactérias, fungos e micro-organismos a luz solar, eliminando-os e gerando redução de riscos à saúde”, explicou o prefeito Leonel Martins (PSDB), referindo-se também à prevenção dos riscos de doenças, com base no processo de revolvimento e arejamento da areia. Objetos cortantes, plástico, bitucas de cigarro e tampas de garrafas também são captados.

O equipamento de limpeza será utilizado diariamente, cada dia executando um trecho da praia. Além do trabalho com a saneadora, a Prefeitura faz a coleta de resíduos maiores deixados na faixa da areia e conta com a parceria da empresa responsável pela zeladoria urbana do município.

Estudo no Paraná comprova eficiência

No ano passado, o Instituto Ambiental do Paraná (IAP), por meio de coleta de análises, em praias que utilizam a saneadora para o processo de peneiramento da areia, comprovaram a eficiência da atividade para a eliminação de microrganismos que causam doenças como diarreia, gastroenterites, alergias na pele, parasitoses e viroses.

A farmacêutica bioquímica da entidade, Sumaia Andraus, foi a responsável pelas análises. Ela afirmou que sem o revolvimento, os microrganismos que ficam na parte de baixo da areia têm condições ideais, como temperatura, umidade e nutrientes, para sobreviver e se proliferarem.
“Esse é um método inteligente, barato e sustentável para garantir a saúde de quem vai à praia, já que o contato direto com a areia é muito comum quando as pessoas andam descalças, sentam e deitam na areia, as crianças brincam e constroem castelos”, explica

Imagens






14322344777940.png

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina