Comitê Gestor do Programa Bandeira Azul será formado em reunião no dia 4

27 Março 2018 10:36:11

O comitê não tem número máximo de integrantes, devendo ser formado por participantes da comunidade em geral

1Balneário Piçarras_Restinga.jpg
O trecho que está na fase piloto para a certificação compreende da Avenida Getúlio Vargas até o final do calçamento, sentido norte.

A formação do comitê gestor do Programa Bandeira Azul de Balneário Piçarras está marcada para o dia 4 de abril. A reunião acontecerá no auditório da Prefeitura, a partir das 19h. O comitê será encarregado de garantir que todos os critérios estabelecidos pelo Programa Bandeira Azul sejam cumpridos.

O comitê não tem número máximo de integrantes, devendo ser formado por participantes da comunidade em geral. "Qualquer pessoa pode fazer parte do comitê gestor, inclusive, associações, ong's e órgãos ambientais", pontuou a secretária de Turismo, Susan Correa.

Já integrante da fase piloto do programa, Balneário Piçarras tem que se adequar a 26 recomendações apontadas por relatório do Instituto Ambientes em Redes. "O comitê gestor vai auxiliar a cidade a cumprir com todas as recomendações", comentou Susan.

O comitê gestor deverá também, em parceria com a coordenação nacional do programa, Instituto Ambientes em Rede, instituir o sistema de gestão ambiental e conduzir auditorias ambientais regulares na praia. "O comitê vai ajudar na preparação e gestão da praia", explicou Leana Bernardi, coordenadora nacional do Programa Bandeira Azul.

O trecho que está na fase piloto para a certificação compreende da Avenida Getúlio Vargas até o final do calçamento, sentido norte. Os critérios para avaliação de uma praia são: educação e informação ambiental, qualidade da água, gestão ambiental e segurança e serviços. Balneário Piçarras é uma das treze praias de todo o Brasil a lançar a fase piloto e iniciar o planejamento de ações para o recebimento da certificação.

"A partir de agora, a comunidade precisa abraçar o programa, se empoderar dele. O Bandeira Azul trará benefícios significativos para a nossa cidade, principalmente na captação de turistas e visibilidade", exaltou o Prefeito Leonel Martins, frisando a importância do envolvimento da população no processo.

Análises do mar dão continuidade ao projeto
A Universidade do Vale do Itajaí, por meio da Central de Laboratórios de Ensaios Analíticos (CLEAn), está realizando durante cinco semanas, todas as segundas, terças e quartas-feiras, a coleta para a realização de testes de balneabilidade da praia de Balneário Piçarras. No total, são coletados três frascos por dia. Ação faz parte da fase piloto do Programa Bandeira Azul.

As coletas são para ensaios microbiológicos (Contagem de Enterococcus sp e Pesquisa e contagem de Escherichia coli) e para os ensaios físico-químicos (pH, materiais flutuantes e óleos e graxas). As coletas são complementares a da Fundação do Meio Ambiente (FATMA), que são realizadas nas praias de todo estado.

Os padrões de qualidade exigido nos critérios do Programa Bandeira Azul são baseados nas normas e legislação nacional e internacional. "O Bandeira Azul exige que a praia tenha uma qualidade de água excelente para os parâmetros microbiológicos Escherichia coli e Enterococos, sendo mais completo e diferente do padrão estadual de monitoramento de praias", frisou o assessor de Meio Ambiente, Marcos Zaleski.

A partir das análises realizadas, já existem resultados preliminares e positivos ao município. "Importante observar que além dos parâmetros microbiológicos estão sendo feitas outras análises físico-químicos para óleos e graxas, pH e materiais flutuantes com todos os laudos emitidos positivos, que celebra, até agora, uma enorme conquista para a cidade", enfatizou Zaleski.

A Univali contém um procedimento de amostragem que descreve a coleta de acordo com a matriz a ser amostrada. A metodologia é baseada em protocolos normatizados por órgãos nacionais. "Para água do mar utiliza-se como procedimento adentrar na água até à linha de cintura do banhista e realizar a coleta da amostra entre 30 centímetros abaixo da superfície e 1 metro de profundidade", explicou Ana Cristina Gon, da CLEAn.

"A balneabilidade inadequada de um local apresenta riscos à saúde, gerando uma maior susceptibilidade para os banhistas de contrair doenças e outras infecções, então, os resultados satisfatórios apresentados até o momento na praia de Balneário Piçarras garantem uma maior qualidade da água para os banhistas, que podem desfrutar de uma atividade recreacional com mais segurança", afirmou Ana, fazendo alusão aos resultados das coletas.




14322344777940.png

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina