Prolongamento da Beira Mar Norte começa a sair do papel

13 Novembro 2017 14:11:53

Prefeitura publicou o edital para licitação de contratação de empresa de engenharia e urbanismo para o desenvolvimento de estudos e projetos de pavimentação e urbanização do trecho de 2,5 quilômetros

Felipe Bieging, jornalista
Prolongamento Beira Mar (1).JPG
Foto: Smart Films
“Mas, possivelmente, a obra mais imediata e que nós deveremos abrir é até a região do Candeias.”

A Prefeitura de Balneário Piçarras deu o primeiro passo às obras de prolongamento da Avenida José Temístocles de Macedo (Beira Mar) até a divisa com Barra Velha. O edital para licitação de contratação de empresa para consultoria em engenharia e urbanismo para o desenvolvimento de estudos e projetos de pavimentação e urbanização do trecho Norte foi publicado. O certame está marado para o próximo dia 23.

Segundo o edital, R$ 20.375,00 estão previstos para contratação de empresa que deverá executar o projeto para o prolongamento de 2,5 quilômetros da Avenida - entre a Rua da Amizade e a Rua São Ludgero. Levantamento topográfico, estudo de concepção e definição de tráfego, projeto geométrico, projeto de urbanização, projeto de drenagem pluvial e projeto de sinalização viária estão previstos na contratação pelo edital.

Assim que contratada, a empresa vencedora da licitação terá 3 meses para executar o serviço. A intenção de prolongar ao Norte a Avenida Beira Mar foi noticiada pelo Jornal do Comércio em janeiro deste ano. A ideia completa é de o projeto de engenharia ser elaborado para até a divisa da cidade, mas as obras serem executadas por partes. Inicialmente a abertura deverá ocorrer até as imediações do acesso Norte. 

"Deverá ser até a divisa de Balneário Piçarras com Barra Velha. Mas, possivelmente, a obra mais imediata e que nós deveremos abrir é até a região do Candeias. Seria um passo bastante significativo", revelou o prefeito Leonel José Martins (PSDB) - na ocasião da entrevista. Assim que o projeto estiver pronto, o Governo Municipal terá uma nova etapa a superar: o licenciamento ambiental.

Na visão de Leonel, o projeto ambiental e a obra buscam recuperar uma área já degrada da região Norte. "Se você descer no Candeias e seguir sentido Sul, já há uma área aberta e degradada. No mesmo trecho, do Sul para Norte, você encontra uma trilha, inclusive com água parada", reforçou. Ele ainda acredita que ações de infraestrutura possa elevar a sensação de segurança no bairro Itacolomi - a região que mais cresce na cidade.

Para realização das futuras obras, o Governo Municipal espera ter aporte financeiro dos Governos Federal e Estadual. Contudo, já tem o aval do Legislativo para utilizar recursos vinculados no Fundo de Manutenção da Praia (Fumpra), que teve possibilidade de utilização ampliada através de aprovação de projeto de lei. .  "Para nós, a praia não é só areia. A praia também passa pela urbanização dos dois molhes [...], pode passar pela melhoria das calçadas da praia, pela repavimentação da avenida da praia, pela urbanização da praia", observa Leonel.

Atualmente composto por um generoso montante, Leonel assegurou que o Fumpra continuará tendo seu foco em obras de engordamento da faixa de areia. "Esses R$ 9,2 milhões foram depositados durante o nosso Governo. Então, o Fundo é substancioso. Eu posso utilizar uma pequena parte dos recursos do Fumpra, sem comprometer a maioria dos recursos para um possível aterro da praia. Até porque, nós estamos refazendo o projeto para aterrar a praia, novamente", defendeu.


14322344777940.png

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina