Suspeito de matar Gabriella Custódio Silva diz que tiro foi acidental

Após o depoimento, Leonardo Nathan Chaves Martins (21 anos) foi liberado pela Polícia – mas ainda pode ter sua prisão preventiva decretada

Leonadro.jpg
Foto: Facebook
Na versão do suspeito, a arma era de seu pai, que recém havia comprado.

Leonardo Nathan Chaves Martins (21 anos), principal suspeito de ter assassinado a própria esposa, Gabriella Custódio Silva (20 anos), se entregou à Polícia Civil de Joinville na tarde desta quinta-feira, 25. Junto de seu advogado, o suspeito afirmou ao delegado, Elieser Bertinotti, que o tiro que ceifou a vida da jovem foi acidental.

“Ele afirma que foi na cozinha para mostrar a arma, quando aconteceu o disparo. Em uma mão, ele estava com o carregador desacoplado, que deixou em cima da mesa, e na outra a arma”, descreveu o delegado em entrevista ao jornalista Hassan Farias, do grupo NSC. Após o depoimento, ele foi liberado – mas pode ter sua prisão ainda requisitada.

Na versão do suspeito, a arma era de seu pai, que recém havia comprado. Os dois estavam na casa dos pais de Leonardo, quando o suspeito buscou a pistola para mostra à Gabriella. Na cozinha, o disparo teria ocorrido. Mesmo com carregador fora, possivelmente uma munição teria ficado na arma. A mãe de Leonardoo estaria na lavanderia e não viu a cena.

O delegado também informou ao jornalista Hassan Farias, do grupo NSC, “tecnicamente uma arma não dispara sozinha. Não é que não possa acontecer, mas teria que haver uma perícia. Só que ele disse que a arma foi jogada em um rio após o tiro”. O advogado de Leonardo afirmou que ele está “extremamente arrependido”, apesar de o disparo ter sido acidental.

Elieser Bertinotti ainda vai ouvir familiares de Gabriella, que foi enterrada nesta quinta-feira, 25, em Penha – sua cidade natal. O delegado tem 30 dias para concluir o inquérito.

Imagens





14322344777940.png

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina e Jornal do Comércio