Câmara de Penha aprova projeto que proíbe uso do cerol

A proposta impõe multa de uma Unidade Fiscal Municipal (UFM), algo em torno de R$ 153, para quem for pego utilizando cerol durante a brincadeira

FELIPE BIEGING, JORNALISTA
818bba033555900d08faa4a72b3a53f2.jpg
Foto: Alexandre Lopes
“O material é capaz de provocar lesões

Por unanimidade, a Câmara de Vereadores de Penha aprovou projeto de lei que proíbe a utilização de cerol ou produto industrializado semelhante nas linhas das populares “pipas” ou “pandorgas”.  A votação aconteceu na sessão do último dia 23, estipulando ainda prazo de 90 dias para que o prefeito regulamente o projeto.

“O cerol é uma substância bastante perigosa e tem trazido uma série de transtornos a muitos, especialmente nos períodos de férias”, definiu o autor do projeto, o vereador Maurício Brockveld (PROS). A proposta impõe multa de uma Unidade Fiscal Municipal (UFM), algo em torno de R$ 153, para quem for pego utilizando cerol durante a brincadeira.

Em caso de reincidência, o valor da multa será dobrado. “Apresento o projeto de lei, crendo que o uso de cerol aplicado nas linhas de pipas ou papagaios seja proibido o mais rápido possível”, acrescentou. Segundo o parlamentar, “os mais atingidos são motociclistas e ciclistas”.

O cerol é uma mistura de pó de vidro com a adição de cola de madeira passada na linha. “O material é capaz de provocar lesões, mutilações ou pior ainda, causar a morte. Isso em decorrência de irresponsabilidades e negligências dos que usam tal meio como diversão. Sem a mínima preocupação com os resultados que a brincadeira pode trazer”, frisou Maurício.

 





14322344777940.png

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina e Jornal do Comércio