Câmara vai aguardar decisão liminar para votar atualização do Plano Diretor

11 Fevereiro 2019 13:44:04

O presidente da Câmara de Vereadores de Balneário Piçarras, João Bento de Moraes (PSDB), afirmou que projeto será analisado, mas votado apenas após decisão judicial da juíza local

FELIPE BIEGING, JORNALISTA
Piçarras aérea (8).jpg
Foto: Felipe Bieging | JC
“Vou seguir a recomendação do Ministério Público"

Lido durante a sessão ordinária do dia 5, o Projeto de Lei Complementar (PLC) que institui o Plano Diretor de Desenvolvimento Estratégico do Município só será votado assim que houver manifestação oficial da justiça à liminar pedida pelo Ministério Público do Estado (MPSC) - em ação civil pública por supostas irregularidades no processo de atualização do Plano. A informação é do presidente da Câmara, João Bento de Moraes (PSDB).

“Vou seguir a recomendação do Ministério Público. Só vou colocar o projeto em votação após a decisão liminar da juíza”, confirmou o presidente. Entretanto, o PLC terá sua tramitação de estudo continuada. “O projeto foi encaminhado para a Comissão Permanente da Câmara, para seu parecer. Mas, nós ainda vamos promover audiências públicas para apresentar o projeto, como manda a Lei”, completou.

A Comissão é formada pelos vereadores Lucimir Alcides Uller de Bittencourt (PSDB), como presidente, Ademar de Oliveira (PT), o relator, e Dalva Cristiane Teixeira dos Santos (PP), como membro. Eles estudam as questões legais do PLC. “A Lei diz que eu não posso negar a protocolo de projeto. Vamos dar prosseguimento ao estudo da proposta, mas aguardar a juíza antes de votar”, explicou João Bento.

Em março de 2018, enquanto trabalhava na elaboração da ação civil pública, o promotor de justiça, Luis Felipe de Oliveira Czesnat, enviou ofício à Câmara recomendando a não votação de uma futura proposta até o término da ação.

A Prefeitura de Balneário Piçarras protocolou o PLC no último dia 22, afirmando que “não há nenhum impeditivo de ordem legal no envio do Projeto de Lei à Câmara Municipal. O município entende que todo o processo do Plano Diretor Participativo foi feito de forma transparente, em mais de dois anos de trabalho e discussões que envolveram representantes de toda a sociedade de Balneário Piçarras eleitos democraticamente. A atualização do Plano Diretor é essencial para ampliar e ordenar o desenvolvimento de Balneário Piçarras”.

Na ação ajuizada pelo MPSC, os pedidos imediatos em caráter liminar do promotor são para que a Câmara de Vereadores não aprecie qualquer anteprojeto de lei enviado pela Prefeitura, que o Governo Municipal torne público todo o trabalho já realizado, que suspensa qualquer trabalho na revisão, que em 60 dias a Prefeitura apresente estudos técnicos para cada uma das mudanças realizadas na revisão e que também realize seis audiências públicas assim que as irregularidades forem sanadas ou esclarecidas. A juíza pediu contraponto do Governo, antes de analisar a liminar.

Também no dia 22, o colegiado que trabalhou na atualização do Plano Diretor por dois anos em 108 encontros promoveu uma reunião com vereadores. O presidente do Colegiado, Eder Pereira, fez a entrega da proposta aos parlamentares. “Foi (reunião) entregar a proposta de revisão do Plano Diretor para os vereadores aproveitarem o recesso e começarem a ler. E também para nós colocar à disposição para auxiliar depois, tirando possíveis dúvidas”, esclareceu sobre o motivo da reunião. O colegiado foi conduzido pela empresa Le Padron.

Imagens

Piçarras aérea (8).jpg

Enquete

As Câmaras de Vereadores de Balneário Piçarras e Penha analisam projetos de lei que buscam proibir o uso de fogos de artifício com efeito sonoro (explosão). Qual a sua opinião?

A FAVOR DA PROIBIÇÃO
CONTRA A PROIBIÇÃO

Apresentar resultado





14322344777940.png

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina