Casal que tentou decapitar adolescente em Penha é condenado pela Justiça

Gilmar Fortunato foi sentenciado a 14 anos de reclusão e Thais Lima dos Santos a 10 anos, 4 meses e 13 dias

FELIPE BIEGING, JORNALISTA
15353937547840.png
. O magistrado também negou a eles o direito de recorrer da sentença em liberdade

Gilmar Fortunato e Thais Lima dos Santos foram condenados pelo crime de tentativa de homicídio qualificado praticado contra Pablo Patrik de Souza. Em júri popular realizado no Fórum da Comarca de Balneário Piçarras, no último dia 4, Gilmar foi sentenciada a 14 anos de reclusão e Thais a 10 anos, 4 meses e 13 dias. Em abril de 2017, eles tentaram decapitar Pablo com uma espada em uma região deserta da Ponta da Vigia, em Penha.

“No caso, tem-se que os autores dos fatos só não consumaram o crime porque acreditaram que a vítima já estava morta, o que, a meu ver, considerada ainda a evidente gravidade da lesão, demonstra que chegou bem próximo da consumação do delito”, detalhou o juiz Luiz Carlos Vailati Júnior, ao definir o grau mínimo para redução da pena em associação ao artigo do Código Penal que trata da tentativa de homicídio.

A pena de Gilmar e Thais será cumprida em regime fechado. “Ainda não houve o cumprimento de pena suficiente para a progressão”, complementou Luiz Carlos. O magistrado também negou a eles o direito de recorrer da sentença em liberdade.

Uma terceira pessoa, Tailana Machado de Freitas, também havia sido denunciada pelo Ministério Público do Estado (MPSC), como participante no ato. Contudo, ela foi absolvida pelos jurados. Contra si, havia um pedido de prisão preventiva decretado, o qual foi revogado pelo juiz após o julgamento.

O CRIME

Segundo as investigações, a tentativa de homicídio foi motivada por uma dívida de drogas, que eram vendidas por Gilmar. O adolescente contou aos investigadores da Polícia Civil que há três meses vinha vendendo drogas para Gilmar. Sob posse de 20 tubos de removedor de solda - que eram vendidos como "Loló" ao preço de R$ 50 cada - o adolescente acabou consumindo o material e contraindo uma dívida de R$ 1.000,00 com o traficante.

Pressionado a quitar a dívida, o jovem acabou pegando mais cocaína de Gilmar - sem seu consentimento – para tentar fazer dinheiro. A Polícia Civil de Penha afirma que “Gilmar descobriu que o adolescente tinha pegado sua droga sem sua autorização e disse que iria matá-lo”. No dia 2 de abril de 2017, Pablo recebeu uma ligação para se encontrar com o trio, que o levou até uma região remota da Ponta da Vigia, em Penha.

Gilmar teria ordenado que Thais utilizasse uma espada ninja para cortar o pescoço de Pablo. A ordem for seguida. "O adolescente relatou que começou a ter espasmos e veio a desmaiar, só recobrando a consciência quando estava sendo jogado da encosta em direção ao mar. Por fim, informou que conseguiu se agarrar em uns arbustos, onde permaneceu até o dia clarear, para então subir a encosta e pedir ajuda", pontuou Allan Coelho, responsável pela Delegacia de Penha.

Por volta das 17h do dia 3 de abril, o adolescente foi encontrado e imediatamente encaminhado para o Hospital Marieta, em Itajaí. Ele permaneceu internado por vários dias em razão da gravidade dos ferimentos sofridos. Pablo está vivo. Thais e Gilmar foram presos semanas depois.

 

Imagens






14322344777940.png

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina e Jornal do Comércio