Toninha gestante é encontrada sem vida em praia de Barra Velha

A morte por afogamento após ficar presa acidentalmente em uma rede de pesca foi comprovada em exame

Toninha.jpg
Foto: PMP-BS
A gestação de uma toninha dura em torno de 11 meses,

A Unidade de Estabilização de Animais Marinhos da Univali, em Penha, encontrou mais uma toninha (Pontoporia blainvillei) gestante e sem vida na última semana. O fato se dá dias após a celebração do “Dia Nacional da Toninha”, em 1º de outubro, data estabelecida para gerar visibilidade ao golfinho, um dos mais ameaçados de extinção da espécie. A morte por afogamento após ficar presa acidentalmente em uma rede de pesca foi comprovada em exame.

O animal foi encontrado sem vida na Praia do Tabuleiro, em Barra Velha, via Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS). No momento do registro, os técnicos de campo perceberam que o abdômen do golfinho estava mais saliente do que o normal. Apesar da decomposição da carcaça, a toninha foi encaminhada para a unidade do PMP-BS, onde passou por um exame de necropsia.

Análises externas

O exame permitiu identificar que a toninha era uma fêmea adulta e estava grávida. Pela aparência das glândulas mamárias, bastante inchadas, é possível que a toninha já estivesse produzindo leite. Devido ao elevado estágio de decomposição, esta informação não pode ser comprovada. Segundo informações da médica veterinária do PMP-BS, Tiffany Emmerich, o feto era uma fêmea, estava em idade gestacional avançada, pesava 3,2 quilos e media 62 centímetros de comprimento.

A gestação de uma toninha dura em torno de 11 meses, com um filhote a cada dois ou três anos. O filhote depende do leite materno por pelo menos nove meses antes de começar a se aventurar sozinho em busca de outros alimentos.

Sensibilização

A toninha apresentava diversas marcas lineares na pele compatíveis com marcas causadas por emalhe acidental em rede de pesca, na cabeça e no melão (parte elevada em frente ao crânio, responsável pela ecolocalização dos golfinhos).

Além disso, a nadadeira caudal havia sido parcialmente amputada, muito provavelmente feita com um objeto cortante. Muitos animais marinhos encontrados pelo PMP-BS apresentam este tipo de interação humana, caracterizada por agressão e vandalismo.

A suspeita de afogamento em rede de pesca foi confirmada por meio de exame das vias aéreas e pulmões. Outro fato que chamou a atenção dos veterinários foi o trato digestório, repleto de pequenos peixes. Segundo Tiffany, é possível que a toninha estivesse se alimentando dos peixes que ficaram presos na rede de pesca no momento do emalhe.

Lembre-se:

Ao avistar animais marinhos mortos ou debilitados entre em contato com o PMP-BS pelo telefone 0800 642 3341. A ligação é gratuita e funciona diariamente das 8h às 17h30min

Projeto

O Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS) é uma atividade desenvolvida para o atendimento de condicionante do licenciamento ambiental federal das atividades da Petrobras de produção e escoamento de petróleo e gás natural no Polo Pré-Sal da Bacia de Santos, conduzido pelo Ibama. Esse projeto tem como objetivo avaliar os possíveis impactos das atividades de produção e escoamento de petróleo sobre as aves, tartarugas e mamíferos marinhos, através do monitoramento das praias e do atendimento veterinário aos animais vivos e necropsia dos animais encontrados mortos. O projeto é realizado desde Laguna (SC) até Saquarema (RJ), sendo dividido em 15 trechos. A Univali monitora o Trecho 4, compreendido entre Governador Celso Ramos a Barra Velha.

Imagens





14322344777940.png

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina e Jornal do Comércio