DST’s crescem entre jovens de 20 a 29, em Balneário Piçarras

"A explicação é apenas uma: estão tendo relações sexuais sem o uso de preservativo. Infelizmente”, categoriza a enfermeira do Programa, Schirlei Maiara Bento

images.jpg
Unidades Básicas de Saúde oferecem gratuitamente preservativos masculinos e femininos.

O Programa de Combate a Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST), AIDS, Tuberculose e Hanseníase de Balneário Piçarras fez alerta preocupante: os casos de DST’s entre jovens de 20 a 29 tem crescido consideravelmente.

A explicação é apenas uma: estão tendo relações sexuais sem o uso de preservativo. Infelizmente”, categoriza a enfermeira do Programa, Schirlei Maiara Bento. A Sífilis é a doença com o maior percentual de crescimento no município.

Ela ressalta que as Unidades Básicas de Saúde oferecem gratuitamente preservativos masculinos e femininos. Contudo, a falta campanhas midiáticas de conscientização têm levado os jovens ao desuso da camisinha.

A informação foi enaltecida justamente durante o mês de Combate à Aids, o Dezembro Vermelho.  Por conta disso, a Secretaria de Saúde de Balneário Piçarras está intensificando a realização de testes rápidos para o diagnóstico de HIV, Sífilis e Hepatites B e C.

“A demanda de teste é livre. Apesar de ser o mês de prevenção à Aids, vamos aproveitar a oportunidade para realizar todos os testes para doenças sexualmente transmissíveis”, detalhou a enfermeira.

Em caso de diagnóstico positivo, o paciente é imediatamente remetido à consulta para início do tratamento.  “São testes com resultados disponíveis em, no máximo, 30 minutos. E completamente confiáveis”, reforçou a técnica de enfermagem, Marceli de Andrade Crestani.

Nas unidades, basta o paciente procurar a enfermeira responsável, em qualquer horário do período de funcionamento da UBS, e solicitar a realização do teste. Na sede do Programa, que fica aos fundos do P.A 24h, da mesma forma.

HIV

Hoje, Balneário Piçarras realiza o tratamento de 135 pacientes com HIV. Desse total, 134 estão com sua carga viral estabilizada, ou seja, não transmitem o vírus. “A AIDS é a doença resultada do não tratamento do HIV”, completa Schrilei. No tratamento do HIV, além da medicação, os pacientes recebem orientações para elevar a própria qualidade de vida. “Não fumar, não consumir bebidas alcoólicas, ter hábitos alimentares saudáveis e praticar exercícios garantem isso”, finaliza.

 

 






14322344777940.png

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina e Jornal do Comércio