Saúde faz levantamento para identificar problemas auditivos na rede escolar

27 Maio 2019 14:12:13

Uma equipe de oito profissionais vem percorrendo todas as unidades de ensino para um diagnóstico preliminar e que irá nortear um protocolo de ações com alunos e professores no segundo semestre

Saúde Auditiva.jpg
Foto: Divulgação
"Crianças com alterações já estão sendo encaminhados para o acolhimento inicial na Unidade Básica de Saúde”

A Secretaria de Saúde de Balneário Piçarras vem realizando um levantamento na Rede Municipal de Ensino para identificar crianças com alterações auditivas ou risco de perda auditiva e alteração no desenvolvimento da linguagem e fala. Uma equipe de oito profissionais vem percorrendo todas as unidades de ensino para um diagnóstico preliminar e que irá nortear a elaboração de um documento para ações de prevenção e tratamento.

“Por meio de questionário, observações e muita conversa, estamos realizando esse levantamento. Crianças com alterações já estão sendo encaminhados para o acolhimento inicial na Unidade Básica de Saúde”, explicou a fonoaudióloga responsável pelo Programa Saúde Auditiva na Escola, Karin Gomes. A meta é atingir 80% das crianças e professores do município durante o primeiro semestre.

Nas unidades de ensino, os fonoaudiólogos promovem a triagem e passam a realizar o diagnóstico inicial – que inclui o procedimento da meatoscopia. “É um exame rápido que permite observar o conduto auditivo externo, analisando excesso de cerúmen, rolha de cera e outras alterações no conduto auditivo e membrana tirânica”, explicou a fonoaudióloga da Secretaria. Com o levantamento inédito concluído, a equipe do programa pretende desenvolver ações específicas para os alunos e professores a partir do próximo semestre.

Além do tratamento aos casos já identificados com dificuldades auditivas, o Programa Saúde Auditiva na Escola buscará elevar o conhecimento de alunos e professores a respeito de medida preventivas e que garantirão a plena audição. “Por meio de palestras, oficinas com crianças em fase de alfabetização e formação com professores esperamos esclarecer que cuidados básicos podem garantir uma saúde plena do sistema auditivo”, reforçou Karin.

Além disso, a técnica de segurança no trabalho da Secretaria irá realizar uma aferição do nível de ruído em algumas escolas. A intenção é verificar o nível de ruído em áreas de recreação e salas de aula e sua interferência direta no cotidiano de aprendizado em sala. “Vamos usar um decibelímetro para e verificar a situação de algumas escolas, para futuramente sugerir adequações e realizar prevenções estratégicas”, complementou a fonoaudióloga.

O Programa Saúde Auditiva é parte integrante do Programa Saúde na Escola – que nasceu após a assinatura de um Termo de Compromisso Municipal entre as Secretarias de Saúde e Educação. O foco é promover com os mais de 4.700 alunos uma série de atividades que elevem a saúde corporal, mental e física das crianças. Ao longo de todo o ano, os alunos passarão por avaliações da saúde bucal, oftalmológica, antropométrica, nutricional, auditiva, atualização do calendário de vacinação, desenvolvimento de linguagem e identificação de possíveis sinais relacionados às doenças negligenciadas e em eliminação.

“Vamos promover o incentivo à alimentação saudável, práticas corporais, atividades físicas, prevenção ao uso do álcool, tabaco e outras drogas. Também será trabalhado a educação sexual e prevenção do DST/AIDS”, detalha a coordenadora do Programa e também responsável pela Atenção Básica, Carolina Genovezzi. Temas como saúde ambiental, prevenção de acidentes, saúde mental e promoção de cultura de paz e direitos humanos estarão em abordagem dentro do Programa.

De acordo com a secretária de Saúde, Bruna Emanuela Machado, a proposta principal do Programa Saúde na Escola é “proporcionar atenção integral à saúde de crianças e adolescentes da Rede Municipal e Estadual de Ensino”, citou Bruna. Todos Centros de Educação Infantil, Escolas Básicas Municipais e uma Escola de Educação Básica Estadual participam do projeto.






14322344777940.png

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina e Jornal do Comércio