Secretaria de Saúde de Balneário Piçarras desenvolve ações de incentivo à amamentação

As ações acontecerão de forma pontual nas próprias Unidades Básicas de Saúde

bebe-mamando.jpg
“É uma forma de incentivo a amamentação com enfoque na nutrição, afeto e proteção”

Durante todo o mês de agosto, a Secretaria de Saúde de Balneário Piçarras vai realizar ações de incentivo ao aleitamento materno. O foco do trabalho é enaltecer nas 165 gestantes atendidas atualmente pela rede municipal de Saúde a importância da amamentação exclusiva até os 6 meses de vida do bebê.

As ações acontecerão de forma pontual nas próprias Unidades Básicas de Saúde, onde as equipes técnicas irão conversar diretamente com as gestantes. “É uma forma de incentivo a amamentação com enfoque na nutrição, afeto e proteção”, detalha a coordenadora da Atenção Básica da Secretaria, Carolina Genovezzi.

Há também propostas mais específicas. Na UBS do Nossa Senhora da Conceição, dia 20, haverá ultrassom ecológico (pintura na barriga). Na UBS do Itacolomi, dia 30, acontecerá a oficina de amamentação. Na UBS de Nossa Senhora da Paz, as voluntárias da Missão Moisés irão desenvolver um trabalho focado na importância da amamentação.

A Secretaria de Saúde vem trabalhando ainda no projeto Crescer Saudável, que foca na alimentação adequada das crianças. Por meio de inquérito alimentar preliminar realizado com 62 crianças menores de 6 meses, ficou constatado que apenas 28 recebiam o aleitamento materno exclusivo.

Segundo a secretária de Saúde, Bruna Emanuela Machado, o Ministério da Saúde recomenda que as crianças sejam amamentadas até os dois anos ou mais e de forma exclusiva até o 6º mês de vida.  “Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) e Unicef, cerca de seis milhões de crianças são salvas a cada ano com o aumento das taxas de amamentação exclusiva até o 6º mês de vida”, avaliou.

O aleitamento materno é a melhor fonte de nutrição infantil, sendo capaz de reduzir em 13% a mortalidade por causas evitáveis em crianças menores de cinco anos. Protege a criança de doenças como diarreia, infecções respiratórias e alergias. Além disso, reduz o risco de a criança desenvolver hipertensão, colesterol alto, diabetes, sobrepeso e obesidade na vida adulta.

 





14322344777940.png

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina e Jornal do Comércio