Em apenas um mês mais de 1.700 pessoas faltaram às consultas médicas agendadas

12 Julho 2017 17:08:49

O dado é referente apenas ao mês de junho, segundo a Secretaria de Saúde, que fez o levantamento nas 28 Unidades de Saúde.

Marciano Corrêa, Local
Em apenas um mês mais de 1.700 pessoas faltaram às consultas médicas agendadas (4).JPG

Em apenas um mês mais de 1.700 pessoas faltaram às consultas médicas agendadas (4)

As Unidades de Saúde estão sendo orientadas a divulgarem os dados para conscientizar a população

Em Lages, mais de 1.700 pessoas faltaram às consultas médicas agendadas nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) do município. O dado é referente apenas ao mês de junho, segundo a Secretaria de Saúde, que fez o levantamento nas 28 Unidades de Saúde. “Considerando que cada médico realiza em média dez atendimentos por período, esse número de faltantes significaria deixar dois médicos ociosos durante um mês inteiro”, aponta a diretora de Atenção Básica do município, Francine Formiga.

O relatório aponta, ainda, que no primeiro semestre foram realizadas 74.468 consultas médicas, as quais incluem os cuidados continuados dos grupos prioritários (hipertensos, diabéticos, gestantes, saúde mental, idosos e crianças menores de dois anos) e consultas gerais (excluindo preventivos, procedimentos, vacinas e consultas odontológicas e de sinais vitais). Também foram realizadas outras 17.426 consultas de enfermagem (classificação de risco, prescrição de cuidados e outros procedimentos).

“Algumas pessoas se queixam da falta de médicos, mas todas as Unidades estão assistidas. Temos 49 equipes, a maioria com médicos da Família que cumprem jornada de 40 horas semanais, e alguns médicos de produção que atendem as Unidades que não possuem médicos efetivos. Por isso, estamos orientando as Unidades a expor em murais a quantidade de pacientes faltantes para conscientizar a população”, afirma a gerente das Unidades Básicas de Saúde, Tatiane Matos. Ela pede, ainda, que o paciente comunique, caso seja necessário desmarcar ou remarcar a consulta. “Por uma questão de respeito e sensibilidade, para não tirar a vaga de outras pessoas”, pondera.

 Fotos: Toninho Vieira

14472708677060.jpg

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | O Momento