Mais de 30 mil educadores e estudantes serão alcançados pelo curso de multiplicadores em educação de trânsito

10 Abril 2018 16:25:00

A segurança, literalmente nas mãos dos motoristas, será o assunto do dia inteiro durante o aperfeiçoamento

Marciano Corrêa, Local

A cada 25 minutos, em períodos sazonais do ano, como Natal, Ano Novo e Carnaval, com o aumento de veículos no trânsito, uma pessoa morre no Brasil em decorrência de decisões tomadas erroneamente no trânsito. Os óbitos permeiam entre 35 e 40 mil ao ano. A cada um minuto uma pessoa pode sofrer sequelas de acidentes. Os dados alarmantes do Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (DPVAT) devem ser combatidos primeiramente dentro dos lares, no processo de reeducação de adultos e de conscientização de crianças e adolescentes. Do lado de fora das paredes das casas das famílias, o Poder Público pode e deve sair na frente e estimular a disseminação de instruções no sentido de tornar motoristas e pedestres mais bem educados e pacientes. Em Lages a frota de veículos já passa de 106 mil. Com tanto carro nas ruas e avenidas, infelizmente falta paciência, educação e bom senso, pois todos querem chegar logo ao destino e o pensamento individual acaba prevalecendo ao coletivo. Na manhã desta terça-feira (10 de abril) foi iniciado o curso de multiplicadores em educação de trânsito, promovido pela Diretoria Municipal de Trânsito (Diretran) com apoio direto do Serviço Social do Transporte e Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Sest/Senat) e da Secretaria Municipal da Educação. Pretende-se abranger mais de 30 mil pessoas, entre professores e alunos. 

O evento, realizado no auditório da Escola de Educação Básica (E.E.B.) Industrial de Lages, é voltado a professores, diretores e auxiliares de direção de instituições de ensino das redes municipal, estadual e particular de Lages ofertantes do ensino fundamental e médio, cujos anfitriões foram a gerente de Educação de Trânsito, Fátima de Souza, e o diretor geral da Escola, Armando José Duarte.

A capacitação, ministrada pelos instrutores do Sest/Senat, Natanael Francisco de Liz e Rosangela Matos, transcorrerá pela manhã e tarde desta terça, com oito horas/aula, e visa preparar educadores que irão absorver as instruções e posteriormente repassarão os ensinamentos aos alunos nas escolas onde trabalham. Um método divertido também pode ser aproveitado nas escolas, o simulador chamado pista educativa. "Um projeto extraordinário já em funcionamento e neste ano toma uma proporção maior, com envolvimento de todas as escolas, com profissionais dotados de amplo conhecimento na área de trânsito. É um assunto sobre o qual todo cidadão deve estar inteirado, com responsabilidade na prática para que tenhamos menos problemas. Com esta noção espraiada entre toda a população, os resultados podem criar um comportamento bem diferente nas ruas e rodovias em favor da vida", prospecta o prefeito Antonio Ceron, presente na abertura do evento.

A gerente Fátima resumiu o papel de cada cidadão no aspecto de melhorar a convivência no trânsito: "A finalidade é a humanização entre motoristas e pedestres. Os acidentes podem ser causados por defeitos mecânicos, condições de estradas, problemas em sinalização, mas grande parcela é por imprudência. Esta realidade tem de mudar urgentemente. Vai além das autoescolas e das polícias. Todos nós temos nossa parte no uso do cinto, controle da velocidade e na educação."

O conteúdo

Na programação do curso, os seguintes temas: segurança, preservação da vida, cidadania, mobilidade urbana, recursos tecnológicos, uso proibido de bebida alcoólica e drogas ao conduzir, conduta defensiva, atitudes do bom motorista, psicologia, metodologias de ensino de educação no trânsito, didática, transversalidade e dinâmicas.

Rosangela Matos é psicóloga pós-graduada em metodologia do ensino na educação superior e mestranda em ambiente e saúde. "O Sets/Senat participa deste curso por entender ser essencial o ensino e a conscientização social da temática, pois o panorama atual mostra uma realidade preocupante, gerando conflitos e calamidades, com mortes e lesões tanto temporárias, quanto permanentes." A psicóloga é taxativa: "Somente projetos e programas educacionais podem modificar o quadro atual e um dos melhores ambientes para se iniciar é a sala de aula, criando uma consciência crítica em nossas crianças e adolescentes."

Em sua explanação, o instrutor, formado em logística, Natanael Francisco abordou a Lei Municipal nº: 3.401/2007, sobre as diretrizes na educação, colocadas nas escolas de ensino infantil e fundamental. O artigo 76 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) trata da obrigatoriedade de que todo órgão de trânsito trabalhe a questão da educação. "Nosso trabalho no Sets/Senat é disseminar a promoção social e o aprendizado para o motorista profissional. A nossa cultura hoje, normalmente, é de acreditar que o motorista somente precisa aprender quando está em uma autoescola. Diferentemente disto, o motorista precisa ser criado desde quando começa a ser formalmente alfabetizado, ou seja, nas séries iniciais. Mais do que saber dirigir um veículo, é fundamental ser ensinado que tenha cidadania. No futuro terão este conceito de respeito pelo outro. Se nas escolas ensina-se as matérias de matemática, português, geografia, ciências, por que não ensinar algo que também utilizarão no exercício da vida cotidiana e amenizar estas tragédias que vemos todos os dias nos jornais?", questiona.

Para o especialista, falta ética no trânsito, e analisa: "Se um motorista erra, o outro se acha no direito de fazer igual. Este é o problema, eliminar esta cultura. Por mais que eu esteja certo no trânsito, às vezes terei de abrir mão dos meus direitos para o trânsito flua melhor."

Quem vai para a sala de aula

A auxiliar de direção no Centro de Educação Infantil Municipal (Ceim) Pequeno Príncipe, bairro Várzea, Silvane Boeira, é formada há 28 anos em educação infantil, efetiva no Município há 12 anos, e já trabalhou com crianças do 1º ao 4º ano. O Ceim possui 109 alunos dos seis meses aos seis anos de idade, do berçário misto, maternal I e II e pré-escolar I e II. A educadora está na plateia do curso. "Os alunos do Ceim estão na faixa etária de formação do caráter, ideal na introdução da conscientização de ser um bom motorista."

Ela lembra que na época em que se habilitou, em 1989, ainda não havia curso de direção defensiva. "Eu mesma sou motorista há 18 anos e meu filho de 17 já me ajuda a tomar boas atitudes quando estou no volante. Conheço as placas desde pequena, pois a gente viaja muito em família. Todo dia vejo a impaciência dos motoristas nas rótulas, cortam a frente quando avançam na preferencial, buzinam sem motivo, andam com som muito alto, não respeitam as normas das cores dos semáforos. Mas sei que nunca é tarde para se redimir e se reeducar. A pressa não leva a lugar nenhum." A professora exercita educação no trânsito diariamente inclusive em casa, junto aos outros três motoristas - esposo e os filhos de 28 e 23 anos. "Tenho mais dois, de 17 e 12, e já conhecem como deve funcionar."

O evento contou com autoridades, como o secretário de Planejamento e Obras, Claiton Bortoluzzi, Cristina Alves Ribeiro (da Secretaria da Educação), o gerente Regional de Educação, Humberto de Oliveira, Maximiliano Ermel (Colégio Bom Jesus Diocesano), representantes da Polícia Militar (PM) e do 1º Batalhão Ferroviário (BFv), e o deputado estadual, Gabriel Ribeiro. Ainda, a rainha da 30ª Festa Nacional do Pinhão, Andressa Kizyzanoski Bordignon, a primeira princesa, Ellen Waltrick Ribeiro e a segunda princesa, Caroline Ceccatto.

Imagens

14472708677060.jpg

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | O Momento