O TEMPO SITE 10 09 2017 EXATO.jpg

METODOLOGIA DA EDUCAÇÃO SUPERIOR I I

19 Julho 2017 10:11:05

Jor. Adelcio Machado dos Santos (MTE/SC nº 4155 - JP) Diretor da Associação Catarinense de Imprensa (ACI)

Adelcio Machado 1 cor.jpg
Jor. Adelcio Machado dos Santos (MTE/SC nº 4155 - JP) Diretor da Associação Catarinense de Imprensa (ACI).

Adelcio Machado dos Santos [1]

Masetto (2003, p.35), salienta que o ensino e a aprendizagem, pelo fato de poderem ser complementares e se integrarem é que não são idênticos.

É necessário que se compreenda bem cada um deles para melhor se entender como se pode fazer a correlação, a complementaridade e a integração de dois processos, transformando-os em um só.

O autor evidencia também que, a ênfase num ou noutro processo, ocasionará resultados de integração ou correlação totalmente diferentes.

 Continua discorrendo que, atualmente a ênfase do ensino superior está apenas no processo de ensino, em que a metodologia em sua quase totalidade está centrada em transmissão ou comunicação oral de temas ou assuntos acabados por parte dos professores (aulas expositivas), ou leitura de livros e artigos e sua repetição em classe. Preponderância de um programa a ser cumprido.

Novamente, falando-se da avaliação, aos olhos do citado autor esta é usada como averiguação do que foi assimilado do curso, mediante provas tradicionais e notas classificatórias e aprobatórias ou não.

No entanto, se for destacado o processo de aprendizagem, inúmeras transformações positivas poderão ocorrer.

Principalmente, no processo de crescimento e desenvolvimento de uma pessoa em sua totalidade, abrangendo áreas como a do conhecimento, através de pesquisas, a do afetivo-emocional, a de habilidades e a de atitudes e valores. Logo, a metodologia de aula e o ensino dela, passa a ser participativa por parte do professor e dos alunos, propiciando maior facilidade de consecução dos objetivos propostos.

Em consonância com o magistério dado a lume por Nérici (1976), a relevância metodológica representa a viabilidade de efetivação do conhecimento, da eficiência, da criatividade e da responsabilidade no comportamento do aluno.

Destarte, estimula-se o aluno a produzir conhecimento por si próprio.

Vale ainda acrescentar que para Piaget apud Burke (2003), a adequada preparação dos professores apresenta dois aspectos fundamentais e interligados:

  • A formação intelectual e moral do corpo docente, fato que geralmente é difícil, pois quanto melhores são os métodos preconizados para o ensino, mais penoso se torna o ofício de professor.
  • O problema social da valorização ou da revalorização do corpo docente primário e secundário.

Neste sentido, para esses dois problemas, Piaget apud Burke (2003, p.94), existe apenas uma única e semelhante solução racional, ou seja:

 

“uma formação universitária completa para os mestres de todos os níveis. [...] A preparação universitária completa é, sobretudo, necessária para a formação psicológica satisfatória”.

 

Verifica-se assim, mais uma justificativa para a análise de uma proposta metodológica mais abrangente e ampliada que, acima de tudo, siga rumo à qualidade da educação superior.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

[1] Pós-Doutor pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC); Especialista em Gestão Educacional, em Psicopedagogia e em Supervisão, Orientação e Administração Escolar; Reitor da Universidade Alto Vale do Rio do Peixe (UNIARP); Advogado (OAB/SC nº 4912), Administrador (CRA/SC nº 21.651) e Jornalista (MTE/SC nº 4155).

 

Imagens



Menu

Contatos