O TEMPO SITE 10 09 2017 EXATO.jpg

METODOLOGIA DA EDUCAÇÃO SUPERIOR I I I

24 Julho 2017 16:27:22

Jor. Adelcio Machado dos Santos (MTE/SC nº 4155 - JP) Diretor da Associação Catarinense de Imprensa (ACI)

Adelcio Machado 1 cor.jpg
Jor. Adelcio Machado dos Santos (MTE/SC nº 4155 - JP) Diretor da Associação Catarinense de Imprensa (ACI).

Conforme já foi exposto, a Metodologia da Educação Superior envolve pontos como, à guisa de exemplo, elaboração de planos de ensino, sobre o qual Gil (1997), relata que, de modo geral, no tempo atual tudo exige planejamento, desde as complexas ações governamentais em campos como os da economia, segurança e educação até simples atividades, como a realização de compras ao supermercado ou um passeio com os amigos.

Dessarte, planejamento educacional poderia ser definido como o processo sistematizado, pelo qual se pode conferir maior eficiência às atividades educacionais para, em determinado prazo, alcançar o conjunto das metas estabelecidas.

Para Masetto (2003), o professor que deseja planejar sua disciplina, deve ter de início em mente que o planejamento de uma disciplina deve ser visto como uma ação educativa e, ademais disso, estará colaborando para a formação de um profissional competente e cidadão co-responsável pelo aprimoramento e melhoria das condições de vida da sociedade.

Entende-se, por conseguinte, que a atividade docente em uma disciplina do ensino superior não é apenas uma atividade técnica, mas, nos termosd a preleção de Masetto, “profundamente educativa”.

Neste sentido, qualquer plano para ser, de fato, eficiente necessita de ser flexível e adaptável a situações novas ou imprevistas (VASCONCELOS, apud MASETTO, 2003, 176).

  • A formulação de objetivos, segundo Gil (1997), o planejamento de ensino começa exatamente pela formulação dos objetivos a serem alcançados, definindo previamente o que se espera do aluno. Para o citado autor, pode-se dizer que mediante formulação dos objetivos se situa o trabalho do professor.

De acordo com Masetto (2003), os objetivos devem estar definidos claramente e abrangendo as áreas de conhecimento, de habilidades, afetivas e de valores ou atitudes, indicando com transparência o que os alunos deverão aprender como resultado de se ter desempenhado bem aquela disciplina.

  • A seleção dos conteúdos, este aspecto deve estar devidamente vinculado aos objetivos a serem alcançados. Para Masetto (2003), o conteúdo deve colaborar para a aprendizagem esperada e não correr ao lado do restante do curso. Necessário se faz a indicação de sugestões de leituras, porém sem serem extensas.
  • Estratégias de ensino-aprendizagem, com base em Gil (1997), as estratégias são comumente designadas como métodos de ensino, métodos didáticos, técnicas pedagógicas, técnicas de ensino, atividades de ensino etc. Estas devem ser escolhidas tendo em vista os objetivos esperados. Dentre estas, pode-se citar, a motivação, a concentração, a memorização, além dos princípios psicológicos que atuam diretamente na aprendizagem.
  • Os instrumentos de avaliação da aprendizagem, primeiramente, a que se destacar que a avaliação necessariamente deve acompanhar o processo de aprendizagem, valorizando todas as atividades que se realizaram durante o período letivo, e as técnicas avaliativas devem ser usadas para ajudar o aluno a aprender e não apenas para classificá-lo em situação de aprovação e reprovação.

Imagens




Menu

Contatos