O TEMPO SITE 10 09 2017 EXATO.jpg

CIDADE DAS TERMAS ESTÁ PREPARADA PARA RECEBER MILHARES DE TURISTAS NA 105ª EDIÇÃO DO KERB

07 Janeiro 2019 14:05:40

Evento festivo que surgiu no início do século passado, trazido por imigrantes alemães, celebra o aniversário da Igreja Luterana na cidade, relembrando a festa da colheita e uma promessa cristã.

3.jpg

Por: Ernoy Mattiello – ASCOM & MARKETING 

O clima e o colorido da festa germânica mais tradicionais das comunidades alemãs no Brasil, tomou conta de Piratuba. As cores da bandeira alemã estão na flâmula decorativa dos postes e nas vitrines do comércio local.
No Centreventos, palco festa, equipes do Turismo e Fundação de Cultura e Eventos, dão os últimos retoques na decoração. Nos hotéis e em pousadas a maioria das reservas dos próximos dias são de turistas vindos para o Kerb.

Mas afinal, o que a palavra que representa tão bem o espírito de uma festa que mistura religiosidade, comidas típicas e a integração das etnias, no convidativo brindar de canecas de chopp quer dizer? 
Bem; a palavra não possui tradução literal do alemão para o português, no entanto estudiosos acreditam que seja uma derivação do termo: KIRCHEEINWEIHFEST (Festa de inauguração da Igreja).

Mais curioso é que a festividade apresenta duas linhas históricas das quais acredita-se que a tradição tenha surgido:

Uma delas aponta as antigas quermesses da Alemanha, festividades religiosas em agradecimento à boa colheita, festejando São Martinho.

A outra, possivelmente a mais aceita pelas comunidades alemãs no Brasil, trata a festividade como a celebração de uma promessa, feita em mar aberto, durante horas de apuro à bordo do navio Cecília, o qual se aproximava da costa brasileira.

Os precursores da festa, seriam imigrantes, vindos da região do Hunsrück e Vale do Reno na Alemanha. Relatos apontam a colônia de Baumschneis, em Dois Irmãos no RS, como a idealizadora da primeira confraternização em Setembro de 1828, comemorando o dia de São Miguel.

Em Santa Catarina, a tradição chegou ainda no início século passado, trazida pelos colonizadores do Vale do Sinos e Caí, no RS. A antiga Vila do Rio do Peixe, atualmente Piratuba, foi primeira cidade a realizar o evento, que marca o aniversário de inauguração da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB). Na década de 1970 a comemoração tornou-se um atrativo turístico, substituindo a data original do inverno, pela temporada de verão.  

A história foi contada em 2009 no documentário Heimatland & a História do Kerb. A obra menciona inclusive que em algumas cidades é a igreja católica a realizadora dos festejos.

Mas o que não deixa a menor dúvida é que o Kerb de Piratuba é sinônimo de festa e alegria, atraindo milhares de turistas todos os anos. Em 2019 a celebração que chega a 105 ª edição, conta com nove dias de comemorações.
Mantendo a tradição, pela segundo fim de semana de Janeiro, o evento começa nesta sexta-feira (11) com a escolha da rainha e princesas e vai até o sábado, dia 19 deste mês, com muito chopp, comidas típicas, competições tradicionais do evento e grandes bailes animados pelas consagradas bandinhas. 

Crédito Fotos de Acervo: Cláudio Victor Rogge
 

Imagens



Menu

Contatos