O TEMPO SITE 10 09 2017 EXATO.jpg

Homem acusado de matar após desavença em bar é condenado a oito anos

01 (00000003).jpg

                As testemunhas ouvidas durante o julgamento do jardineiro Marcos Paulo Bueno apontaram uma desavença antiga entre as famílias do acusado e da vítima Juvelino Figueiró Ferreira. O réu confessou ter atingido Ferreira com um tiro, durante luta corporal. Segundo ele, um movimento da vítima o fez entender que sacaria o revólver da cintura. Por isso disparou. Bueno foi condenado a oito anos de prisão, em regime semiaberto: seis anos pelo homicídio qualificado pelo emprego de recurso que dificultou a defesa da vítima e dois anos por porte e posse ilegais de arma de fogo. Foi negado o direito de recorrer em liberdade.

                O crime aconteceu no dia sete de agosto de 2015, por volta de 20h30. De acordo com a denúncia, algumas pessoas jogavam baralho em um bar, no distrito de Marechal Bormann, interior de Chapecó, no Oeste, quando houve um desentendimento no jogo. Bueno fez um único disparo que atingiu fatalmente o peito de Ferreira, no lado direito.

                Próxima sessão

              Nesta sexta-feira, 10, acontecerá o julgamento de Andrei Lucas Gross, vulgo “Baby” ou “Bocão”. Ele é acusado pelo homicídio de Leandro dos Anjos com disparos de espingarda. O crime ocorreu no dia três de janeiro de 2017, às 1h30. Foi na avenida São Pedro, no bairro Pinheirinho. Conforme consta nos autos, Dos Anjos teria dívidas de drogas (crack) com Gross. A sessão inicia às 13h30, no fórum de Chapecó. O réu é acusado de homicídio qualificado por motivo torpe e emprego de recurso que dificultou a defesa da vítima.

 

Texto e foto: Núcleo de Comunicação Institucional/Comarca de Chapecó

Legenda: Durante interrogatório, réu confessou o crime.​

 

 

Elizandra Gomes

Núcleo de Comunicação Institucional/Comarca de Chapecó

Imagens




Menu

Contatos