O TEMPO SITE 10 09 2017 EXATO.jpg

Médicos e agentes de Saúde fazem atendimentos domiciliares

Pacientes impossibilitados de ir ao ESF ou acamados são atendidos em casa

Pacientes impossibilitados de ir ao ESF ou acamados são atendidos em casa

 Um dos trabalhos da Secretaria Municipal de Saúde é feito pelas agentes de saúde, que visitam mensalmente todas as casas de famílias que fazem parte da área de abrangência das Unidades de Estratégia de Saúde da Família. Hoje, os pacientes que não conseguem se deslocar até a ESF, contam também com atendimento médico em casa. Segundo o secretário de Saúde, Alessandro Vernize, os cubanos vêm de uma cultura em que os profissionais de saúde (médico e enfermeira) moram junto às unidades de saúde em que atuam. “Para nós, ir até a casa dos pacientes é uma ação que desenvolvemos normalmente no nosso País. E aqui, como o trabalho é semelhante ao nosso, é natural que façamos da mesma forma”, disse o médico Ennis Gonzáles Carrazana, que atende no ESF do bairro Guilherme Reich.

 

Quem comemora são os pacientes impossibilitados de comparecer à unidade de saúde e os acamados. O aposentado Nelso Stol, 73 anos, que está bastante fragilizado e necessita utilizar a cadeira de rodas até se recuperar, recebeu a visita do médico na segunda-feira, dia 9, à tarde. “Muito bom poder contar com o atendimento em casa, sem precisar sair”, falou agradecido o aposentado. Em torno de 10 pacientes da área de abrangência do ESF necessitam, no momento, de atendimento domiciliar. Quanto aos medicamentos de uso contínuo, como para diabetes e hipertensão, podem ser retirados na própria ESF e os de uso controlado somente na Policlínica. “Mas, um familiar é autorizado a retirar na Policlínica”, explica a diretora de Saúde, Maria Cristina Berta.

 

 

 

Logo ASCOM - GINA

 

Imagens




Menu

Contatos