Produção

IBGE estima safra de grãos 1,9% menor que a 2015

22 Maio 2016 10:00:00

A estimativa da área a ser colhida é de 58,5 milhões de hectares

ASCOM
milho.jpg
Foto: Reprodução/Internet
Milho

A quarta estimativa de 2016 para a safra nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas totalizou 205,4 milhões de toneladas, 1,9% inferior à obtida em 2015 (209,4 milhões de toneladas). A estimativa da área a ser colhida é de 58,5 milhões de hectares, apresentando acréscimo de 1,6% frente à área colhida em 2015 (57,6 milhões de hectares). Em comparação à informação de março, a produção variou negativamente 2,2% e a área aumentou 0,3%.

O arroz, o milho e a soja são os três principais produtos deste grupo, que, somados, representaram 92,9% da estimativa da produção e responderam por 87,1% da área a ser colhida. Em relação ao ano anterior, houve acréscimo de 2,9% na área da soja e de 2,9% na área do milho, na área de arroz houve redução de 7,7%. No que se refere à produção, houve aumento de 1,3% para a soja e reduções de 7,6% para o arroz e de 5,0% para o milho.

Regionalmente, o volume da produção de cereais, leguminosas e oleaginosas apresentou a seguinte distribuição: Centro-Oeste, 87,0 milhões de toneladas; Sul, 74,6 milhões de toneladas; Sudeste, 20,9 milhões de toneladas; Nordeste, 15,8 milhões de toneladas; e Norte, 7,1 milhões de toneladas. Comparativamente à safra passada, houve incremento de 8,3% na região Sudeste, havendo reduções de 8,2% na região Norte, de 4,7% na região Nordeste, de 3,2% na região Centro-Oeste e de 1,7% na região Sul. Nessa avaliação para 2016, o Mato Grosso liderou como maior produtor nacional de grãos (25,1%), seguido pelo Paraná (18,3%) e Rio Grande do Sul (15,0%), que, somados, representaram 58,4% do total previsto.

No Levantamento Sistemático da Produção Agrícola de abril destacaram-se as variações nas seguintes estimativas de produção, comparativamente ao mês de março: sorgo (4,8%), cacau (3,6%), feijão 3ª safra (-0,9%), feijão 1ª safra (-1,2%), mandioca (-1,2%), soja (-1,7%), café canephora (-4,3%), milho 2ª safra (-4,5%), algodão herbáceo (-8,4%), cevada (-17,6%) e triticale (-18,4%).

SOJA (em grão) – Apesar da redução de 1,7%, em relação ao mês anterior, a produção nacional de soja ainda se manteve como recorde. Em uma área de 33,0 milhões de hectares, espera-se serem colhidas 98,5 milhões de toneladas da leguminosa. Mato Grosso lidera a produção nacional, com 28,0% de tudo o que será produzido. O estado espera colher 27,6 milhões de toneladas, valor 1,0% menor que no mês de março. Esta avaliação de abril trouxe decréscimos para a expectativa de produção do Maranhão (-29,8%) e da Bahia (-8,6%).

CEREAIS DE INVERNO (em grão) – As estimativas de produção do trigo, da cevada e do triticale estão apresentando queda de 2,2%, 17,6% e 18,4%, respectivamente, frente ao mês anterior, em função, principalmente, da redução de 2,0%, 19,4% e 33,6% da área a ser plantada com essas culturas, respectivamente. O Paraná é o maior produtor brasileiro desses produtos. Por dois anos consecutivos, as lavouras de inverno nos estados do Sul tiveram perdas decorrentes do clima adverso em final do ciclo. Além disso, o acréscimo da área plantada com o milho 2ª safra reduz a “janela de plantio” destas culturas de inverno, notadamente no Paraná.



lllll.jpg

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina