HABITAÇÃO

Diretoria da Cohab/SC projeta investimento superior a R$ 60 milhões nos próximos dois anos

Recursos devem ser empregados na construção e reformas de moradias para famílias de baixa renda.

Paulo R Ferreira com Assessorias
PG 06 - Economia.jpg
Foto: ASCOM/SC
Gráfico Investimento

A diretoria executiva da Companhia de Habitação do Estado de Santa Catarina (Cohab/SC) divulgou nesta quarta-feira, 29, o plano de produção para os próximos dois anos. Por meio da venda de terrenos, ações judiciais para recuperação de crédito e renegociação de financiamentos habitacionais, o órgão projeta a entrada de R$ 60 milhões, a serem empregados na construção e reformas de moradias para famílias de baixa renda.

Para a nova diretora presidente da companhia, Alessandra Klettenberg, o atual cenário econômico e a falta de perspectivas do Governo Federal na liberação de recursos para a terceira edição do Programa Minha Casa Minha Vida criam a necessidade de planejamento para linhas de investimento alternativas. “A Cohab possui um patrimônio com mais de uma centena de terrenos no Estado e um alto montante a receber de mutuários inadimplentes, além de projetos relacionados à regularização fundiária – uma importante tarefa que precisa de continuidade. Com êxito nestas ações, certamente conseguiremos diminuir os efeitos da crise no setor habitacional em Santa Catarina”, afirmou Klettenberg.

O órgão estadual tem o registro de aproximadamente 120 propriedades espalhadas pelo Estado. Vinte e duas destas áreas – avaliadas em R$ 32,3 milhões – não estão aptas para a implantação de empreendimentos habitacionais e estão liberadas para alienação. A companhia aguarda a aprovação do Governo do Estado para dar prosseguimento aos trâmites de venda destes imóveis. Ao mesmo tempo, trabalha no projeto de atuação no processo de regularização fundiária nos 295 municípios catarinenses, onde pelo menos 300 mil famílias aguardam a regularização de seus terrenos.

Outra fonte de recursos é resultado do ajuizamento de 776 ações nas comarcas catarinenses, visando à recuperação de crédito imobiliário. Deste total, 250 unidades já se encontram aptas a serem recomercializadas, garantindo cerca de R$ 5 milhões para os cofres da empresa. Ao final de todo o processo, a soma do valor recuperado deverá ultrapassar R$ 28 milhões. Paralelamente às ações por meio da Justiça, a Cohab fortalecerá o programa de recuperação de crédito. A carteira da companhia contabiliza atualmente 7.259 mutuários devedores. Com a renegociação destas dívidas, projeta-se o recebimento de recursos na ordem de R$ 24,2 milhões.

Nos últimos cinco anos, a maior parte da produção da companhia ocorreu por meio de parcerias e com investimento de recursos próprios. Entre unidades isoladas e conjuntos habitacionais, foram construídas 2.658 unidades em áreas rurais e urbanas. O investimento de R$ 47 milhões permitiu atender com a casa própria cerca de 12 mil cidadãos catarinenses. O Programa Cohab Cidadã garantiu a reforma ou ampliação de 782 moradias, por meio de mais R$ 5 milhões em subsídios a famílias carentes. Ainda foram registrados 2.742 pedidos de escrituração de imóveis (demanda histórica da companhia), com o Programa A Casa é Sua, que arrecadou R$ 3,6 milhões.

+ ECONOMIA

Dia dos Namorados

Os comerciantes sentiram no caixa os impactos do baixo poder de compra dos consumidores no Dia dos Namorados em Santa Catarina. Embora a data tenha movimentado a economia nas primeiras semanas de junho, principalmente pela queda nas temperaturas antes do início do inverno, o faturamento caiu 9,5% este ano, conforme aponta a pesquisa da Fecomércio SC em parceria com a Federação das CDLs de Santa Catarina (FCDL/SC). Já em relação aos meses comuns do ano houve crescimento de 11,8% na receita, o que demonstra a relevância do dia dos namorados para o setor. 

 

 

Audiência Pública

A realização da audiência pública do Orçamento Regionalizado, realizada pela Assembleia Legislativa, em Canoinhas definiu as prioridades da região. Com mais dois encontros realizados de manhã, em Mafra, no Planalto Norte, e Caçador, no Meio-Oeste, as audiências têm reunido representantes da sociedade civil e do poder público interessados em participar da escolha de obras prioritárias para cada região. Ao conduzir os trabalhos de Canoinhas e Mafra, o presidente da Comissão de Finanças, Marcos Vieira (PSDB), ressaltou que o Orçamento Regionalizado é uma das ferramentas mais importantes para o cidadão manifestar e definir junto ao poder público, as ações mais relevantes de cada município.

Depressão

Estudo que o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou ontem, 30, indica que, em 2013, 10,2% dos brasileiros com 18 anos ou mais que estavam fora do mercado de trabalho (um em cada dez) sofriam de algum tipo de depressão, de um total de 61,8 milhões de pessoas que não trabalhavam, nem procuravam emprego - em um universo de 93 milhões de  empregados. Os dados fazem parte da Pesquisa Nacional de Saúde 2015 – Indicadores de Saúde e Mercado de Trabalho. O levantamento contabilizava, na época, a existência de cerca de 160 milhões de pessoas integrando a População em Idade Ativa (PIA) do país, em um universo de 200,6 milhões de pessoas, segundo o Censo 2010.

Fora da Meta

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, destacou na quarta-feira (29) que o Brasil vive uma situação fiscal difícil, tanto para os estados quanto para a União, com pouco espaço para investimentos. Segundo o ministro, é possível, porém, reverter esse quadro trazendo confiança para os investidores e consumidores, sendo “realista” e dizendo a verdade sobre os números da economia. Ele disse que a meta fiscal de 2017 também será negativa, mas realista, e não quis antecipar os números. “Temos que dizer qual é a verdade e a realidade. Estamos calculando e apresentando as medidas para reverter esse quadro. Isso que é o mais importante.” De acordo com o ministro, o governo deve enviar na próxima semana ao Congresso Nacional uma alteração no Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2017 com novos parâmetros.

FICA A DICA

A Inglaterra deixou a União Europeia. Se você possuiu ações de empresas no antigo continente, não se desespere. Apesar de a Libra (moeda do Reino Unido) ter se desestabilizado durante essa semana a terra da Rainha sabe muito bem como deixar sua economia forte e pulsante novamente.



lllll.jpg

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina