DÚVIDAS

Discurso alinhado do PMDB reflete Crise Moral - POLÍTICA EM REDE

30 Maio 2016 14:38:39

Coluna Especial desenvolvida para os Jornais Ótimo e Diário do Planalto

Paulo R Ferreira
PG 05 - Foto Legenda.jpg
Foto: Rafinha Spies
Angelo Schulka, diretor do jornal, entrega a Taça Diário do Planalto a equipe campeã, consagrada na última terça-feira em Canoinhas. Parabéns aos atletas da Solares/Baluta pela conquista.

FOTO: FIM DA TAÇA DIÁRIO DO PLANALTO. EQUIPE Solares/Baluta LEVOU A MELHOR. Beto Passos, Pré Candidato a Prefeito de Canoinhas também participou da ocasião.

Discurso alinhado do PMDB reflete Crise Moral

                Em sua primeira passagem por Canoinhas para falar a respeito do Impeachment de Dilma Rousseff, o Deputado Federal Mauro Mariani, do PMDB, deixou claro a intenção do partido em abandonar o barco petista e mergulhar de cabeça num novo projeto de governo. Na oportunidade, inclusive destacado nesta coluna, o parlamentar frisou por várias vezes que Michel Temer iria fazer um governo calmo, de transição e sem pretensão de disputar a presidência em 2018. Chegou a utilizar a expressão “deixe que se matem”, referindo-se a disputa PT/PSDB no próximo pleito. Mariani também comentou a Lava Jato na época e em seu discurso sugeriu que assim como na Itália, referindo-se a operação Mãos Limpas, que a investigação do Sérgio Moro faria uma “limpeza” na classe política e que o partido que não se importasse com tal questão, estaria fadado ao severo julgamento da sociedade. Em resumo disse que se o partido que não abrisse o olho, poderia sofrer com a operação. Até aí, tudo bem. Julga-se que o parlamentar referia-se ao partido apoiar – como Michel Temer fez na posse – o trabalho de investigação da Polícia Federal. Não quero aqui sugerir nada, mas valho-me do papel de comunicador social em contribuir com uma dúvida: Me soa estranho que o Principal Ministro do Governo Temer, Romero Jucá, semanas antes da votação do processo de impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff na Câmara, em conversas com o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado sugira que uma “mudança” no governo resultaria em um pacto para “estancar a sangria” atribuída à Operação Lava-Jato. Ao somar as afirmações gravadas (e até então secretas) de Jucá com o discurso de Mariani que os partidos precisariam ficar atentos a Operação Lava Jato só posso concluir que: Ou a bancada do PMDB é muito ingênua ao repetir contos da Carochinha emitidos por um de seus Senadores; ou que Mauro Mariani já tinha plena consciência de como se dava a negociação do impeachment e repetiu por aqui, de uma forma mais refinada, a intenção real dessa ala do PMDB. Moralmente, voltamos a estaca zero. PMDB recebe o benefício da dúvida, mas enfraquecido, tem muita coisa a explicar.

Frase Cômica

Na conversa gravada entre Machado e Jucá, uma frase chamou a atenção: “O primeiro a ser comido vai ser o Aécio”, senador pelo PSDB.

Defesa

Romero Jucá disse que a publicação da Folha não reflete a realidade e que os fragmentos impressos pelo jornal teriam outra conotação.

Fiquei na Dúvida

Qual seria então, a interpretação correta para a frase em que se cita o Senador Aécio Neves?

Mudando de Assunto

A Câmara de Vereadores de Três Barras está operando temporariamente na Tecplan, sobre a justificativa de que reformariam o prédio onde anteriormente ela era instalada. Porém, ainda não há nem sinal de uma reforma iniciar por lá. Já tá fazendo aniversário. Vai ficar abandonada?

E o Boato Vem Ganhando Força

Como antecipado pela coluna em 15/04, outro colunista “descobriu” que podem servir dobradinha japonesa nas eleições de Três Barras. Repito: Será?

Tem mais uma Questão

Quem vai à frente, quem vai atrás?

 

Houve Boatos

Que o Aulão de Ginástica Beneficente que aconteceu em Canoinhas no último fim de semana não foi tão Beneficente assim.



lllll.jpg

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina