Município vai regularizar transporte

CONCESSÃO Empresa não renovou contrato com o município

Deslocamento dos alunos na cidade era um serviço prestado em conjunto com o transporte urbano

O encerramento da concessão do transporte urbano em Seara no dia 9 de abril gerou transtorno para os usuários, especialmente às famílias de alunos que se utilizam do serviço. O principal questionamento de parte da comunidade é em relação à não-antecipação de uma solução para o problema.
A secretária municipal da Educação, Fabiana Mariani, informou ao Folhasete que o setor está trabalhando para resolver tudo até o início de maio. Esclarece que, apesar da ciência de que o prazo terminaria neste mês, havia uma negociação com a empresa Auto Viação Seara, que detinha a concessão das rotas na cidade, para manutenção dos serviços.
O transporte dos estudantes dentro da cidade era feito pela empresa que mantinha concessão do transporte coletivo urbano. O deslocamento incluía alunos e a população em geral. O desfecho neste momento tem a ver com reflexos causados pela Covid. "Devido à pandemia ficou inviável para a empresa circular com os quatro ônibus conforme acontecia, porque reduziu bastante o fluxo de passageiros", justifica a secretária.
Antes, segundo Fabiana, a maior clientela era de trabalhadores da JBS. "Porém, a empresa passou a fretar o translado exclusivo dos funcionários devido à questão sanitária. Então, ficaram somente os estudantes, mas com os protocolos de segurança do Estado por causa da Covid, este quantitativo caiu pela metade".
A prefeitura pagava um valor por aluno transportado. Antes do término da concessão, a Secretaria solicitou uma proposta da transportadora para licitar por trajeto. "O orçamento nos foi entregue somente na quinta-feira e, além desse atraso, o custo da proposta é inviável ao município. Não tem como fechar acordo nestas condições. Então, pelo princípio da economicidade, como solução decidimos operar com a nossa frota própria dentro do município. São seis ônibus".
A Secretaria está encaminhando a licitação neste momento para os trajetos do interior. Fabiana Mariani ressalta que o impasse também tem o lado positivo. "A partir de agora, os transportes na cidade serão somente para alunos. Acreditamos que não terá mais reclamações de ônibus lotados, com crianças em pé. E ainda o trajeto será direto dos pontos para as escolas, o que trará mais segurança e conforto". Salienta que "o único transtorno é que é necessário aguardar o prazo legal para licitação das linhas do interior. Mas estamos trabalhando para que tudo esteja resolvido no início de maio. As famílias que não têm condições de levar seus filhos à escola neste período podem optar pelas aulas remotas até tudo normalizar".

Cobranças

O assunto foi destaque na sessão da Câmara de Vereadores desta semana. Vereadores de oposição fizeram cobranças ao governo municipal, entendendo que a solução para o problema deveria ter sido antecipada.



891072570.jpg

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Jornal FolhaSete