Seara espera liberar R$ 140 milhões

Recursos já estão à disposição nas instituições financeiras.

Recursos do Pronaf e Pronamp já estão à disposição

Agricultores familiares e produtores rurais já podem entrar em contato com bancos e cooperativas de crédito para buscar subsídios junto ao Plano Safra 2021/2022. O programa foi lançado na semana passada e desde o dia 1º de julho já está em operação nas instituições financeiras de todo o país.
No total, o Governo Federal disponibilizou R$ 251,22 bilhões para apoiar a produção agropecuária nacional. O valor reflete um aumento de R$ 14,9 bilhões (6,3%) em relação ao Plano anterior. No Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) serão destinados R$ 39,34 bilhões para financiamento, com juros de 3% e 4,5%. Desse valor, R$ 21,74 bilhões são para custeio e comercialização e R$ 17,6 bilhões para investimentos. Já para o médio produtor, no âmbito do Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp), foram disponibilizados R$ 34 bilhões. São R$ 29,18 bilhões para custeio e comercialização e R$ 4,88 bilhões para investimento, com juros de até 6,5% ao ano.
Na região de Seara, a maioria dos produtores se enquadra no Pronaf e a busca por recursos já está aquecida. Na unidade local do Sicredi, por exemplo, a previsão de liberação nesse Plano Safra, entre custeios e investimentos, deve ficar em torno dos R$ 20 milhões, o que representa cerca de 20% de incremento em relação ao ano passado. A Cresol Xavantina tem como meta atingir R$ 50 milhões divididos entre custeio e investimento nos cinco municípios de atuação da cooperativa. Só em Seara, o montante gira em torno de R$ 10 a 15 milhões.
A Crediseara projeta para a edição 2021/2022 um incremento de 5% a 10% sobre o valor disponibilizado no ano passado. No Plano Safra anterior a Cooperativa liberou R$ 10,9 milhões em custeio e R$ 8,4 milhões para investimentos, totalizando cerca de R$ 19,3 milhões.
As agências do Sicoob Crediauc de Seara têm a expectativa de financiar entre R$ 25 milhões a R$ 30 milhões, dependendo da disponibilidade de recursos e da demanda. Já a agência local do Banco do Brasil espera liberar o maior volume no município, cerca de R$ 60 milhões.

Recursos

O diretor-financeiro da Crediseara, Valdir Magri, avalia que o volume disponibilizado para a agricultura familiar teve um acréscimo nesta edição do Plano Safra, mas ainda não é o suficiente para a atender a demanda. "Já faz três safras que faltam recursos. Então, hoje na nossa avaliação precisaria cerca de R$ 400 bilhões pra suprir tudo que o Plano Safra tem de demanda acumulada, porque o custo de implementação, principalmente de investimento estrutural, aumentou. E no custeio também, como na alimentação dos animais".



891072570.jpg

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Jornal FolhaSete