PIB de Barra Velha é o terceiro que mais cresce em Santa Catarina

De 2018 para 2019, o PIB de Barra Velha saltou de R$ 1.398 bilhão para R$ 1.831 bilhão (33,09%); de 2010 para cá, a evolução é ainda mais intensa, registrando um percentual de 401%

FELIPE FRANCO, JORNALISTA
16196182500601.jpeg
De 2018 para 2019, o PIB de Barra Velha saltou de R$ 1.398 bilhão para R$ 1.831 bilhão

Os dados atualizados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelam que a cidade de Barra Velha é, proporcionalmente, a terceira que mais cresce economicamente dentro do estado de Santa Catarina. A constatação tem como base os novos valores do Produto Interno Bruto (PIB) alusivos ao ano de 2019, que se mostraram evolução de 30,9% em comparação ao ano anterior e de 401% numa análise com números de 2009.

De 2018 para 2019, o PIB de Barra Velha saltou de R$ 1.398 bilhão para R$ 1.831 bilhão. Nesta vertente, a cidade ficou atrás somente de Frei Rogério (47,1%) e Bom Jardim da Serra (32,9%) – mas que possuem tímida economia anual entre R$ 72 mil e R$ 133 mil. Segundo o IBGE, a média nacional e crescimento no período 2018/2019 foi de 1,2%. O Tocantins (5,2%) teve o maior crescimento, seguido por Mato Grosso (4,1%), Roraima (3,8%), Santa Catarina (3,8%) e Sergipe (3,6%).

Dentro dos dados oficiais do IBGE, os números mais antigos são de 2010. Neste quadro, Barra Velha segue no terceiro posto, com crescimento de 401%: passou de R$ 365,5 mil para os R$ 1,8 bilhão anuais. Na vertente de quase uma década, Barra Velha ficou atrás de Araquari que cresceu 811% (R$ 532 mil para R$ 4,8 bilhões) e Itapoá com 411% (R$ 179 milhões para R$ 919 milhões).

De 2010 para 2019, a única retroação do PIB barra-velhense foi de 2017 para 2018, quando caiu de R$ 1,6 bilhão para pouco menos de R$ 1,4 bilhão. Dentre os 295 municípios catarinenses, somente 52 possuem o PIB na casa bilionária, com Barra Velha cravando-se com a 35ª força. Joinville lidera com R$ 34,5 bilhões.

Na visão do economista, administrador de empresas e ex-secretário de Administração de Barra Velha entre 2019 à 2020, Cromácio José da Rosa, a localização da cidade foi determinante para atrair grandes empresas ao longo dos anos, fortalecendo os números financeiros da cidade. “É fator de atração para novos empreendimentos e em especial de grandes redes varejistas do setor alimentício e empresas do setor logístico. Barra Velha duplicou a sua população na última década, atraindo moradores com maior renda e poder de compra”, analisa, pontuando ainda questões de proximidade com portos, aeroportos e a principal rodovia do Brasil cortando a cidade.

Ele prospecta também que “novos empreendimentos do setor imobiliário estão sendo instalados na cidade, tais como condomínios residenciais horizontais e verticais e atendendo as exigências de compradores de alto padrão. Todos esses componentes são vetores facilitadores e multiplicadores do desenvolvimento da região. Basta tão somente que os gestores públicos façam a lição de casa para que essa região como um todo se transforme em um novo eldorado catarinense”.

O PIB é a soma de todos os bens e serviços finais produzidos por um país, estado ou cidade, geralmente em um ano.  O PIB é, contudo, apenas um indicador síntese de uma economia. Ele ajuda a compreender um país, mas não expressa importantes fatores, como distribuição de renda, qualidade de vida, educação e saúde. Um país tanto pode ter um PIB pequeno e ostentar um altíssimo padrão de vida, como registrar um PIB alto e apresentar um padrão de vida relativamente baixo.

PIB BARRA VELHA

2010 - R$ 365 milhões

2011 - R$ 698 milhões

2012 - R$ 933 milhões

2013 - R$ 982 milhões

2014 - R$ 1.280 bilhão

2015 - R$ 1.297 bilhão

2016 - R$ 1.300 bilhão

2017 - R$ 1.666 bilhão

2018 - R$ 1.398 bilhão

2019 - R$ 1.831 bilhão

 








14322344777940.png

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina e Jornal do Comércio