Bandeira do Divino será levada às missas da região

Diferente dos anos anteriores, em que a comitiva percorria a casa dos devotos formalizando o convite, a pandemia de Covid-19 forçou o casal imperial a mudar de estratégia, levando a fé até às missas

FELIPE FRANCO, JORNALISTA
Igreja.jpg
Foto: Felipe Franco
Peditório percorrerá as missas da região

A fé do Divino Espírito Santo começou a ser espalhada na noite da última quarta-feira, 21, quando a comitiva imperial participou da missa na Paróquia Nossa Senhora da Penha, no Centro de Penha. Na ocasião, as bandeiras – que são os símbolos de fé e devoção da festa – foram levados pelos foliões para convidar a comunidade católica a participar da 185ª edição do evento, confirmado para os dias 13 a 24 de maio.

Diferente dos anos anteriores, em que a comitiva percorria a casa dos devotos formalizando o convite, a pandemia de Covid-19 forçou o casal imperial – Romualdo Waltrick e Márcia Zimmer Waltrick – a mudar de estratégia e zelar pela vida. Igrejas católicas das cidades de Penha, Balneário Piçarras, Navegantes e Itajaí serão visitadas durantes as missas, cumprindo as regras estaduais sanitárias, para que o peditório se cumpra.

“Vamos realizar um trabalho de visitar as igrejas, em missa. Nós vamos levar a bandeira e os foliões para fazer o convite para a festa”, detalhou o imperador, Romualdo. A agenda oficial ainda está em fase de elaboração, contudo, neste sábado, 24, a comitiva participará da missa na Capela de Nossa Senhora da Paz, no Centro de Balneário Piçarras, às 19h.

Romualdo foi sorteado para ser o imperador da festa em 2019 – com a incumbência de organizar uma das maiores festas religiosas do Brasil no ano seguinte. Contudo, a pandemia de coronavírus motivou a organizar a adiar o evento para este ano. Agora, a família Waltrick vive intensamente a fé do Divino após 30 anos desde o último membro da família ser coroado.

“Há 30 anos meu pai (José Osair Waltrick) era o imperador. De lá pra nossa família sempre foi muito presente na festa. Ser sorteado é uma graça. Ser escolhido significa muito. Todas as coisas que vivemos começa a fazer sentido”, definiu o imperador, Rone – como é mais conhecido na cidade. Sua espera na lista não durou muito: apenas cinco anos, “Foi muito gratificante. A gente que tem a fé sente que foi uma benção”, complementou.

 







14322344777940.png

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina e Jornal do Comércio