Bar do Domingo Néca começa a ser oficializado na história piçarrense

No último dia 19, a Fundação Municipal de Cultura entregou certificado elencando o local como Ponto de Cultura e Memória Rural do município; esse é o primeiro passo rumo à valorização cultural do espaço

FELIPE FRANCO, JORNALISTA
Domingo Neca - Elinton Geremias.jpg
Foto: Arquivo, Elinton Geremias
“Pra mim, foi uma honra receber esse certificado"

O contexto histórico e centenário que envolve o Bar do Domingo Néca, localizado em Medeirinhos, na zona rural de Balneário Piçarras, lhe rendeu singela homenagem e que marca o primeiro passo rumo à valorização cultural do espaço. No último dia 19, a Fundação Municipal de Cultura entregou certificado elencando o local como Ponto de Cultura e Memória Rural do município, justamente no ano em que completa 100 anos de fundação este mês.

O certificado foi entregue a filha de Domingo Manoel de Souza, o Seu Domingo Néca (falecido em 15 de novembro de 2017, aos 92 anos), Marlete de Souza. “Pra mim, foi uma honra receber esse certificado. Nós sempre tivemos essa ´Vendinha´, meu pai também nasceu aqui (Medeirinhos). Tem muita história aqui. Histórias de festas, histórias de trabalho”, resumiu ela, que desde 2005 é a proprietária do pequeno, mas culturalmente rico, estabelecimento.

A presidente da Fundação, Iria Lúcia Quintino, reforça justamente a importância histórica e cultural do local, ainda preservada, como ponto chave da homenagem. “A Marlete preserva toda a história em um livro, que segue sendo escrito. A história do passado está lá, das festas do interior, da religiosidade, das comunidades, da vida social e da agricultura. Esse é o motivo principal da homenagem: manter essa história viva”, detalhou.

A Câmara Setorial de Patrimônio Material e Imaterial – setor ligado à Fundação – trabalha desde 2010 no mapeamento e estudo do Bar do Domingo Néca. “Uma honra enorme para nós da Câmara de Patrimônio Histórico Imaterial e Material, fazer parte deste momento incrível para nosso município. Reconhecer oficialmente nossos patrimônios era um sonho que começou em 2010 e começa tornar-se real a partir de agora. Grata à dona Marlete que, por todos estes anos, preservou a memória rural e nos permite tornar pública sua participação na história de Balneário Piçarras”, enalteceu a presidente da Câmara, Carla Aline Kryszczun.

Agora, novas etapas serão fomentadas pela Fundação e Câmara Setorial. O local deve ser oficialmente reconhecido como Patrimônio Imaterial de Balneário Piçarras e incluso no Roteiro Turístico e Cultural da região dos municípios da Foz do Rio Itajaí. “Essa é a forma de manter a história viva. Fomentar que ele seja visitado e suas histórias sejam replicadas”, reforçou a presidente da Fundação. Itens históricos, espalhados por diversos cantos da ´vendida´ também serão catalogados.

De musicalidade aguçada, o agricultor Seu Domingo Néca tinha na gaita um dos principais prazeres. Por conta disso, no ato da entrega do certificado, a Fundação Municipal quis elevar a música como forma de se conectar e relembrar o passado. Os gaiteiros do bairro Lagoa, Seu Arlindo e Marlon, tocaram durante o ato. “Meu pai adorava a música. Estava sempre alegre e contando piadas pro pessoal”, recorda-se Marlete, que vem puxando da memória os causos do bar e do bairro.

Desde 2005 ela grava em um caderno, à mão, as recordações da infância e de como nasceu o Bar do Seu Domingo Néca. “Em 1982 eu dei essa placa de presente para ele. Antes disso, todo mundo conhecia somente como ´Vendinha´. Sempre foi ‘Vendinha’, desde a época em que meu pai comprou ela dos primos, em 1965 – ano em que nós compramos”, finalizou Marlete, que escreve no caderninho as histórias que com orgulho conta para cada um que visita a ‘Vendinha’.

DOCUMENTÁRIO

Além da homenagem, a Fundação de Cultura lançou um vídeo, com pequeno documentário sobre a história do local, contada por Marlete. O vídeo pode ser visto nas redes sociais da Fundação de Cultura: no Youtube (Cultura Piçarras), no Facebook (Fundação Municipal de Cultura de Balneário Piçarras) e no Instagram (@fundacao.cultural.picarras).

Imagens







14322344777940.png

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina e Jornal do Comércio