CASAN inicia campanha para conexão de esgoto à rede de tratamento de Balneário Piçarras

Segundo o material gráfico, os moradores são responsáveis por providenciar a conexão de todo efluente doméstico até a entrada caixa de inspeção; profissionais da cidade participaram de capacitações

ETE Piçarras2.jpg
Foto: Casan
O valor da tarifa equivale a 100% sobre o valor da água

A CASAN iniciou uma campanha para conscientizar os moradores de Balneário Piçarras a conectarem o esgoto residência ao Sistema Público de Esgotamento Sanitário, que entrou em operação no mês passado. Segundo o material gráfico, os moradores são responsáveis por providenciar a conexão de todo efluente doméstico até a entrada caixa de inspeção (CI) – que levará todo material até a rede coletora.

As residências que foram contempladas pelo projeto nesta primeira etapa, também estão recebendo comunicados em suas faturas.  “Agora temos um trabalho importante para que os moradores se liguem ao sistema e colaborem para que essa infraestrutura qualifique ainda mais a Namoradinha do Atlântico”, adiantou a presidente da Casan, Roberta Maas dos Anjos.

A CI é o local onde o morador deve conectar o seu esgoto residencial. É também o ponto que marca até onde a Casan será responsabilidade sobre o sistema de esgoto. Na área interna do imóvel, cabe ao proprietário providenciar as adaptações para que possa contar com o serviço de coleta e tratamento.

Assim como há cobrança de tarifa para o tratamento e distribuição de água, o tratamento de esgoto também será cobrado. A Casan confirmou que só iniciará a cobrança em janeiro, por conta da fase de teste do sistema. O valor equivale a 100% sobre o valor da água.

Localizada às margens da BR 101, a Estação de Tratamento de Esgotos (ETE) de Piçarras está entre as mais modernas implantadas pela CASAN.  Totalmente automatizada, a ETE pode ser operada de forma remota e tem capacidade para tratar até 110 litros por segundo de esgoto – o equivalente a 9,5 milhões de litros/dia. O sistema de tratamento é o terciário, o mais completo e eficaz do ponto de vista ambiental.

A Estação é a estrutura mais visível do primeiro Sistema de Esgotamento Sanitário da cidade, composto por 34 quilômetros de redes coletoras, quatro elevatórias para bombeamento e 2.551 ligações domiciliares, que proporcionam uma cobertura de aproximadamente 50% ao município.

O investimento do Governo do Estado de Santa Catarina e da CASAN chegou a R$ 55.721.742,50, financiados junto à Agência de Cooperação Internacional do Japão.

Imagens






14322344777940.png

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina e Jornal do Comércio