Santa Catarina entra em alerta com aumentos de suspeitas e novos casos de Covid-19

Secretaria de Saúde emite alerta para população e serviços de saúde diante do aumento de casos de Síndrome Gripal e da transmissão comunitária da variante Ômicron

Untitled-design-2021-03-18T111044.704.png
Já há confirmação da transmissão comunitária da variante Ômicron no estado

Arquivos

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) emitiu nesta quarta, 5, um alerta à população, para que as medidas de prevenção à Covid-19 sejam reforçadas. O comunicado também foi direcionado aos serviços de saúde de todo o estado, “para que estejam preparados para um aumento expressivo no número de casos de Síndrome Gripal (SG)” – com diagnósticos para Covid-19 e Influenza.

O alerta foi baseado na análise dos dados publicados no último Boletim Epidemiológico da Covid-19, assim como no monitoramento diário dos casos. A confirmação da transmissão comunitária da variante Ômicron no estado, quando não é mais possível identificar a origem da infecção, bem como o aumento dos casos de Covid-19 e da procura de pessoas com síndrome gripal aos serviços de saúde também foram fatores essenciais.

Em Santa Catarina, segundo dados apresentados no Boletim Epidemiológico divulgado na última terça, 4, houve um incremento de 560% no número de casos de Covid-19 entre as semanas epidemiológicas 51 e 52 (19/12/2021 a 01/01/2022). Além disso, o modelo de previsão, que calcula uma estimativa de casos infectantes (nowcasting) para os próximos sete dias, indica uma tendência de crescimento na média móvel dos casos no Estado.

“Já estamos sentindo essa tendência de crescimento do número de casos, tendo em vista a grande procura da população pelos serviços de saúde, com alguns registros de superlotação, e aumento de testes com resultado positivo para Covid-19. Dessa forma, é necessário reforçar as medidas de prevenção, assim como os serviços de saúde precisam estar preparados para o aumento na procura por atendimento”, ressalta o diretor da DIVE, João Augusto Brancher Fuck.

Neste momento em que há um aumento da circulação de pessoas, em virtude da temporada de verão, o alerta da Secretaria é para que a população reforce as medidas de prevenção contra a Covid-19, com o uso de máscara em ambientes fechados ou nos ambientes abertos com aglomeração; higienização frequente das mãos com água e sabão ou álcool em gel; distanciamento social de, no mínimo, um metro, evitando ao máximo aglomerações; preferência por frequentar espaços ao ar livre, bem ventilados; além do cuidado ao fazer viagens, fazendo-as somente se for muito necessário.

Outra medida de extrema importância é a vacinação. Para aqueles que ainda não tomaram a primeira dose, é essencial que procurem um ponto de vacinação. Para as pessoas que precisam completar o esquema vacinal com a segunda dose ou dose de reforço a recomendação é a mesma, procurar um ponto de vacinação para garantir a proteção.

O intervalo da segunda dose para AstraZeneca é de 10 a 12 semanas; Coronavac, 28 dias; e Pfizer, 8 semanas. Para a dose de reforço, o prazo é de 4 meses após a segunda dose para os vacinados com as duas doses; e de 2 meses após a dose única para vacinados com a Janssen.

SERVIÇOS DE SAÚDE

Para os serviços de saúde, a Secretaria recomenda a realização imediata de testes para a detecção da Covid-19 e também que seja elaborada uma estratégia de atendimento e triagem com o objetivo de reduzir a demanda dos serviços de urgência e emergência e unidades de pronto atendimento.








14322344777940.png

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina e Jornal do Comércio