palhocense.jpg

Engenheiros de PH brilham em feira de hotelaria

Jorge Paim/Especial
WhatsApp Image 2017-08-15 at 07.54.27Resultado.jpeg

Como a plataforma “BIM” pode facilitar a vida de proprietários de hotéis e pousadas em todo o Brasil? Foi o que os engenheiros Kesia Alves da Silva e Euclides Ademir Espíndola, da Alves Espíndola Engenharia e Consultoria, revelaram recentemente na Feira Encatho & Exprotel, encontro realizado pela seção catarinense da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH/SC), no Centrosul, em Florianópolis.
Em palestra para um auditório lotado, os engenheiros e diretores explicaram com slides que todo o processo gira em torno da atualização dos prédios do ramo da hotelaria não adaptados às novas normas e leis, o chamado “retrofit”, termo utilizado para adaptação de edifícios existentes, mantendo as características originais do empreendimento. “É uma reforma significativa com adaptações inteligentes, que melhoram o desempenho da estrutura”, explica Euclides Espíndola.
Nota-se que, para fazer o retrofit, o hoteleiro não precisa parar o funcionamento do seu estabelecimento, e só isto já se constitui numa vantagem enorme com o uso desta técnica. Isto até pode acontecer na baixa temporada turística, bem como fechando apenas alguns pavimentos.
O engenheiro relata que são visíveis a diferença e os benefícios da plataforma BIM: facilitar a troca de informações e documentação desde a fase da concepção do projeto de reforma, até a manutenção e a operação. Desde hotéis pequenos até empresas hoteleiras de grande porte, bem como hotéis anteriores à década de 1990 que não foram construídos sob as normas e leis atuais, podem e devem fazer o retrofit.

Rapidez e diminuição de custos
A gerente comercial Kesia Alves esclarece que usando os programas BIM para o retrofit em um hotel, a redução do tempo é inquestionável. Essa plataforma permite ensaiar, desenhar um protótipo 3D, prever todas as interferências e reações dos elementos de uma obra de engenharia às vezes complexa.
A metodologia e a plataforma BIM podem ser implementadas a qualquer tempo, mesmo que as obras já tenham sido iniciadas pelo hoteleiro. Ela vai facilitar e diminuir o tempo de execução da reforma, proporcionado ao empresário um ganho nos custos e liberando logo as instalações para os hóspedes, ganhando, assim, em maior ocupação. “Tempo é dinheiro”, diz a engenheira Kesia.

Uma questão de segurança
O que pouca gente vê é que as instalações hidráulicas, sanitárias e preventivas contra incêndio são de grande importância para a segurança dos hóspedes de um hotel ou de uma pousada. Os diretores também ressaltaram durante a Feira Encatho & Exprotel outros fatores preocupantes: segurança, circuito fechado de TV, elevadores, instalações mecânicas, escada rolante e a reforma na parte estrutural do prédio em si, que não pode gerar riscos.
O tempo despendido para uma obra de atualização predial em um hotel sempre deve partir da elaboração de um projeto feito por engenheiros. O conceito inicial é que vai determinar se serão meses ou dias a serem investidos na obra. Um erro muito comum é colocar uma tarefa técnica tão importante e dispendiosa nas mãos de pessoas com pouco conhecimento, podendo ocorrer grandes perdas de dinheiro, além de nunca ficar uma adaptação perfeita, como manda a lei. “É fundamental iniciar com o projeto, fazer o planejamento, com a orçamentação apropriada e também o fluxo de caixa correspondente. Aí, sim, não haverá perdas”, explica Euclides.
Maiores informações: 3343-4819.




logo palhocense.png

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina